Vítimas de chacina após festa não eram alvos de criminosos, diz polícia

0
274

Dupla invadiu casa, matou três pessoas e deixou dois feridos, em Goiás.

festaA Polícia Civil procura os suspeitos de matar dois homens e uma mulher, com idades entre 23 e 29 anos, após uma festa em uma casa no Setor Jardim Himalaia, em Aparecida de Goiânia, na madrugada de domingo (28). De acordo com o delegado Rogério Bicalho, do Grupo de Investigações de Homicídios (GIH), as vítimas não tinham passagens pela polícia e a suspeita é de que o alvo dos criminosos era um homem que fazia a segurança do evento, mas que não estava mais no local.

“Se tratam de criminosos muito perigosos mesmo, pela crueldade que praticaram os crimes, pela frieza. Mataram pessoas que eles nem conheciam. Não houve brigas ou desavenças na festa que justificassem”, afirmou Bicalho.

De acordo com a polícia, o crime aconteceu por volta das 4h de domingo, quando a festa já tinha acabado. Algumas pessoas seguiam fazendo a limpeza do local, quando dois suspeitos armados entraram no local. Um terceiro envolvido esperou a dupla do lado de fora, em um carro. Mesmo sem encontrar a pessoa que procuravam, de acordo com relatos de testemunhas à polícia, os criminosos efetuaram disparos e fugiram.

Além dos três homicídios, outros dois homens foram baleados durante a chacina. Eles foram socorridos e encaminhados para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). Segundo a unidade, um deles, de 21 anos, respira com a ajuda de aparelhos e tem estado de saúde considerado grave. O outro, que não teve a idade divulgada, sofreu ferimentos leves e não corre risco de morte.

Drogas
Uma das vítimas fatais é Anderson Silva Lopes, de 29 anos, que estava em um carro e chegava à casa no momento do tiroteio. Ele era um dos organizadores da festa. Um familiar dele, que não quis se identificar, afirma que entorpecentes eram vendidos no imóvel. “Eles faziam a festa com o intuito de vender muita droga. A única coisa que a gente sabe é que lá tinha de tudo”.

Além de Anderson, também morreram Adriana Conceição Felipe, 26 anos, e Windison Júlio de Sousa, de 23. Uma tia do rapaz, a dona de casa Edilene Bispo, diz que ele tentou se esconder no banheiro. “A pessoa que fez isso com ele arrebentou a porta do banheiro e atirou. A gente ainda tenta encontrar os motivos para isso”, lamentou.

Segundo o delegado, o número de vítimas não foi maior porque algumas pessoas conseguiram se esconder. “Duas ou três pessoas se esconderam atrás de um freezer e se salvaram. Outras correram para o banheiro”, relatou.

Até a manhã desta segunda-feira (29), nenhum suspeito havia sido preso.