Vítima identifica suspeito de roubo após vídeo de rap ser divulgado

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

bandidoUm dos jovens que aparece em um vídeo cantando um rap com apologia ao crime e ameaças a policiais foi reconhecido por uma mulher como sendo suspeito de roubar o seu carro. Segundo Fernando Martins, delegado responsável pelo caso, a vítima identificou o rapaz, de 20 anos, após ver uma reportagem sobre a filmagem. O crime ocorreu no início do mês, no Setor Alto Paraíso, em Aparecida de Goiânia. O bairro é vizinho ao Setor Garavelo, onde o suspeito mora.

Agora, o delegado afirma que abriu um inquérito e vai investigar o jovem também pelo crime de roubo. “Ela [vítima] afirmou que foi ele quem cometeu o crime. Além disso, outra pessoa já nos procurou e acredita que ele também tenha roubado o carro dela. Marcamos dela ir à delegacia para fazer o reconhecimento”, afirmou Martins ao G1.

O vídeo onde o suspeito aparece foi divulgado na internet através das redes sociais. Além do suspeito, um outro maior, de 21 anos, e um menor, de 17, já haviam sido detidos, assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por incitação ao crime e foram liberados em seguida.

Um quarto suspeito, um adolescente de 17 anos, que também aparece no vídeo e não havia sido encontrado pela polícia, foi levado ao 4º DP de Aparecida pela própria mãe. Conforme explica o delegado, foi ele quem colocou a filmagem na internet. Após assinar o TCO, ele também foi liberado.

Ameaças
Segundo a Polícia Civil, os jovens foram identificados pelos nomes usados na apresentação do vídeo (assista ao lado). Durante a filmagem, o grupo defende a criminalidade em trechos como: “Para quê apostar na Mega se eu faço coisa melhor? Eu roubo o seu prêmio fácil, não sou digno de dó”, e “Eu tenho vários artigos e quero ganhar mais um. Se os velhos tretar (sic) bota artigo 121”, quando fazem referência ao crime de homicídio.

Além disso, fazem provocações e ameaças a policiais, que se sentiram ridicularizados pela letra da música. “Enquanto uma instituição inteira está trabalhando, lutando para quebrar o medo e reverter índices de criminalidade, dois inconsequentes me colocam um rap inútil e inoportuno como esse. Mexe não só com os PMs, mas causa indignação em toda a sociedade organizada”, afirma o porta-voz da PM, coronel Divino Alves.

Após a apreensão, os adolescentes disseram que não são os autores da letra. Por isso, Fernando Barbosa também deve investigar quem escreveu a música e, se identificada, a pessoa pode ser intimada a prestar depoimento.

G1

Notícia postada em  

  • 27 de junho de 2014
  • Da Redação