Vila não envia representantes para audiência com jogadores e instabilidade aumenta

vilaPresidente e Tesoureiro do Vila não comparecem, nenhum documento é apresentado e clube não faz nenhuma oferta de acordo para jogadores

O Vila Nova pode terminar a Série B jogando com atletas do time sub-20. O que parecia ser uma possibilidade ganhou ares de “quase certeza” após mais um episódio de omissão da diretoria, que não enviou nenhum dirigente para a audiência no Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, de uma ação coletiva dos jogadores, que não recebem há mais de três meses. Agora, os atletas tem o direito de pedirem a rescisão de contrato a qualquer momento.

Do lado colorado, estiveram presentes apenas o auxiliar Hermógenes Neto, na figura de preposto, e o advogado Paulo Roberto Cardoso, que não apresentou nenhuma oferta de acordo, nem mesmo qualquer recibo ou documento que defenda a diretoria. Nenhum jogador também esteve presente na audiência, mas todos foram representados pelo presidente do Sindicato dos Atletas de Goiás, Marçal Filho, que lamentou a postura dos dirigentes colorados.

“É um sentimento de derrota, de falta de responsabilidade da diretoria do Vila Nova. Estão comandando o clube ‘a Deus dará’, ou seja, não interessa mais o clube, infelizmente. Na audiência não apresentaram proposta, não levaram nada, aí fica uma situação ruim. A gente fica em uma situação limitada, fazer o que? É tentar cobrar, vou falar com os atletas e aquele que quiser se livrar do Vila, tem o caminho aberto agora”

Quem também representou os jogadores e o Sindicato foi a advogada Arlete Mesquita, que relembrou que os jogadores tem o direito a rescisão indireta, mas que o objetivo no momento é receber os salários atrasados. Segundo a advogada, alguns jogadores relataram que não recebem desde Abril, e como a diretoria não apresentou nenhum recibo, isso foi considerado pela Justiça. Arlete explica que uma nova audiência será realizada e pede a presença dos dirigentes colorados

“O que o Sindicato fez foi requerer ao juízo que determinasse a presença do Presidente e do Tesoureiro para que a gente pudesse ter às claras o que realmente está se passando no Vila. Infelizmente, o requerimento foi indeferido, até porque o Vila estava presente na figura do preposto, mas fica o convite para os dirigentes: a próxima audiência é no dia 11 e nós estamos abertos ao diálogo, à negociação, para que os atletas não sofram mais do que já estão sofrendo”

Futuro

O Vila encara o Paraná Clube neste sábado, às 21h, no Serra Dourada, e se for derrotado, estará oficialmente rebaixado para a Série C do Brasileirão, já que o Oeste arrancou um empate diante do Avaí na última terça-feira. Até lá, é pouco provável que algum atleta peça a rescisão contratual, mas caso o rebaixamento seja confirmado no sábado, o Vila pode iniciar a próxima semana com o elenco formado, praticamente, por garotos.

O atacante Jheimy, que foi a maior esperança de gols da torcida durante a Série B, já deixou o clube na última sexta-feira, antes do clássico contra o Atlético. Outros jogadores “rodados”, como o volante Radamés e o goleiro Cleber Alves, também podem seguir o mesmo caminho. A situação é tão caótica que o goleiro André Luís, titular na última partida, foi despejado do apartamento, por falta de pagamento do aluguel, e agora está morando na sede do clube.

730

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios