Único protagonista, Neymar tem papel inédito em campanhas vitoriosas do Brasil

neymarEm todas as Copas do Mundo vencidas pelo Brasil o conjunto prevaleceu. Havia craques, mas mesmo o protagonismo era dividido. Em 2014 é bem diferente. Neymar não divide o papel de ator principal da seleção brasileira com ninguém. Culpa não dele, mas de uma geração que não teve a sorte de outras brasileiras que terminaram com o título mundial.

Em todas as conquistas brasileiras (1958, 1962, 1970, 1994 e 2002) havia um craque, mas este vinha acompanhado de outros jogadores capazes de decidir um jogo numa bola. Em 2014 esse cenário não existe. Se Neymar jogar mal, ninguém decide. Nos dois jogos em que o jogador não foi destaque, o Brasil não venceu (México e Chile).

Em 1958, Garrincha era o grande nome antes da Copa, mas tinha Didi, Vavá e um garoto chamado Pelé para dividir a responsabilidade. Em 1962, Garrincha contou com Amarildo, substituto de Pelé, para conduzir a equipe, ainda repleta de veteranos geniais como Didi, Nilton Santos e Vavá. Em 1970, Pelé tinha Tostão, Jairzinho, Gérson e Rivellino para compartilhar suas obrigações. Em 1994, Romário e Bebeto foram os nomes mais importantes, e em 2002 houve Ronaldo e Rivaldo. Em 2014, até agora, Neymar carrega o time nas costas sozinho.

“Não existe Neymardependência. É um grupo. Se você separar o individual e olhar todos os jogadores da seleção brasileira, você vê que qualquer um pode jogar em qualquer time grande do mundo. É uma equipe que tem muita qualidade e que não depende só de mim. É uma equipe que depende de todos. Depende do David tirando uma bola, do Thiago, do Luiz correndo para cima e para baixo, do Oscar, do Fred. Todos têm a sua importância”, minimiza Neymar, embora reconhecendo que o papel dos colegas é secundário.

O capitão Thiago Silva, por mais de uma vez durante a preparação da seleção para a Copa do Mundo, disse que é papel dele e de todo o time dar a Neymar a tranquilidade e condições suficientes para ele ser o diferencial do time. “Ele é nosso craque, não preciso eu dizer isso, mas temos de dividir responsabilidades. Para ele jogar bem, todo o time tem de estar bem, concentrado e é isso que estamos fazer”, disse o capitão antes da partida contra o Chile.

O técnico Luiz Felipe Scolari também é bombardeado com perguntas sobre Neymar a cada entrevista coletiva. Comparações com outras seleções com um astro, casos de Lionel Messi e Cristiano Ronaldo, são corriqueiras. Na última chance de comparar o brasileiro ao argentino, Felipão tratou de dizer que Neymar não quer ter as conquistas individuais de Messi antes de ser campeão do mundo por sua seleção.

“Messi é um dos maiores. Neymar caminha para este sentido. Mas quero dizer a todos vocês: Neymar não joga para ser o melhor jogador do mundo, joga para o Brasil, pelo Brasil. O que ele mais deseja pelo Brasil é ser campeão do mundo”, disse o técnico.

IG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios