Última revista em cela de presos que cavaram túnel para fuga foi há 60 dias

0
34

fugaInvestigações da Polícia Civil sobre a fuga de 13 detentos da Casa de Prisão Provisória de Rio Verde, no sudoeste de Goiás, apontam que houve falha nas revistas das celas da unidade. “O funcionário que estava lá no dia, que nos atendeu na CPP, nos relatou que a última revista dentro da cela tinha sido feita há aproximadamente 60 dias”, afirma a delegada responsável pelo caso Jaqueline Camargo Machado. A Polícia Civil acredita que os presos demoraram, no mínimo, quatro dias para cavar o buraco.

Os presidiários fugiram no último sábado (9), após cavar um túnel de aproximadamente três metros que ligava o banheiro de uma das celas até a horta da cadeia, que fica de frente para a rua. Um vídeo, gravado pelos próprios detentos e divulgado nas redes sociais, mostra enquanto os presidiários cavam o túnel e comemoram. Até a manhã desta sexta-feira (15), a polícia havia recapturado dois fugitivos e um se entregou.

Ainda de acordo com as investigações, a terra debaixo da cela era fofa e parecida com areia, o que facilitou o trabalho dos detentos. “Eles tiravam essa areia e jogavam dentro de lençóis, de fronha de travesseiro, amarravam e colocavam debaixo das camas”, informou a delegada Jaqueline Camargo Machado.

[saiba_mais]

Câmeras de monitoramento da CPP também registraram o momento em que os 13 presidiários conseguiram escapar. Segundo o juiz da Vara de Execuções Penais, Felipe Morais, é possível notar que nenhum agente carcerário estava na parte externa do prédio quando houve a fuga. Para o juiz, a falta de revista constante foi uma grave falha na segurança. “Pode-se até cogitar uma negligência dos agentes de não ter entrado nas celas para fazer a revista”, disse.

A Secretaria de Administração Penitenciária e Justiça (Sapejus) informou que uma sindicância interna foi aberta para apurar se houve negligência ou facilitação por parte de alguns dos agentes da penitenciária na fuga dos presos.

Além disso, a direção do presídio afirmou que pretende melhorar a segurança do local com mais agentes. “Daqui 15 dias eles estão chegando aqui na 6ª regional”, afirma o diretor da CPP Luiz da Costa Souza.

Vídeo
A filmagem feita com um celular que estava com um dos detentos, mostra um dos criminosos cavando o túnel. O homem que faz as imagens mostra outro detento e diz: “Olha o ladrão lá ó, tá no ‘doze’, cavucando igual tatu”.

Três presidiários aparecem nas imagens. No início, um deles comemora a possibilidade da fuga: “Nós vai (sic) embora da CPP!”, diz. Outro completa dizendo: “É mulequinho, dar trabalho, vai invadir as pistas”.