Teste do pezinho ajuda na prevenção de doenças

0
159

No Brasil, há uma lei que obriga os hospitais e maternidades a realizarem o teste do pezinho. A triagem neonatal como também é chamado é o exame para recém-nascidos mais conhecido do país e sua importância consiste na detecção precoce de doenças que podem comprometer o desenvolvimento físico e intelectual das crianças.

De acordo com o Dr. Gustavo Rassi, diretor-mteste_pezinhoédico e patologista clínico do Laboratório Atalaia, atualmente, o local realiza um exame mais completo chamado teste do pezinho ampliado, que pode detectar mais de 30 enfermidades.

O teste convencional ajuda a reconhecer apenas quatro doenças, que são a fenilcetonúria, o hipotireodismo congênito, as hemoglobinopatias e a fibrose cística, que podem causar graves danos à saúde do bebê, se não tratadas.

O teste do pezinho ampliado detecta, além das doenças do teste comum, enfermidades como a hiperplasia adrenal congênita, a galactosemia, a toxoplasmose congênita, a deficiência da biotinidase, entre outras.

Dr. Gustavo Rassi esclarece ainda que o Laboratório Atalaia também realiza o teste do pezinho master, que inclui os exames de Citomegalovírus Anticorpos IgM, Glicose 6-Fosfato, Desidrogenase G6PD, Rubéola Anticorpos  IgM, FTA-ABS  Anticorpos IgM e Chagas Anticorpos IgM.

Sobre qual o teste mais adequado a fazer, Dr. Gustavo Rassi orienta uma conversa com o pediatra.  “O médico é quem decide qual dos testes deve ser realizado. Ele vai levar em conta o histórico familiar da criança, a gestação e a maior ou menor incidência de certas doenças na região em que se vive”, informa.

Por isso, Dr. Gustavo Rassi, diretor-médico e patologista clínico do laboratório Atalaia, reuniu os 5 principais motivos para as mamães não abrirem mão do teste do pezinho.

1)Diagnóstico precoce

O teste do pezinho ou a triagem neonatal é capaz de detectar várias doenças que provocam deficiência mental e que podem ocasionar sequelas importantes à saúde da criança.  Essas patologias, quando presentes, podem ter evolução catastrófica, mas se diagnosticadas precocemente, podem mudar o curso da vida da criança e da família, possibilitando uma vida absolutamente normal. Portanto, é importantíssimo que todo recém-nascido seja submetido ao teste do pezinho o mais rápido possível.

2)Identificação de muitas doenças importantes

A análise das gotinhas de sangue coletadas pode diagnosticar enfermidades como a anemia falciforme e outras hemoglobinopatias, fibrose cística, fenilcetonúria e outras aminoacidopatias, hipotireoidismo congênito e hiperplasia congênita da supra-renal. Além destas, a deficiência da enzima glicose 6-fosfato desidrogenase, a toxoplasmose, a galactosemia, a deficiência de biotionidase, são exemplos de outras patologias que também podem ser detectadas por meio do teste do pezinho.

3)Detecção de patologias assintomáticas

A maioria das doenças detectadas neste exame é assintomática no período neonatal, ou seja, só serão percebidas quando a criança já estiver com mais idade. Por isto, a importância de realizar a triagem neonatal nos primeiros dias de vida. Ao se detectar precocemente uma anormalidade, pode-se intervir rapidamente e minimizar os efeitos maléficos da doença.

4)Teste de triagem

É importante que fique claro que o teste do pezinho é um exame de triagem, ou seja, as alterações identificadas deverão ser confirmadas por meio de testes laboratoriais mais específicos, para instituição de tratamento apropriado. Todos estes passos devem ser realizados no menor tempo possível, visando reduzir as sequelas que podem ser causadas pelas doenças diagnosticadas.

5)Um furinho que salva vidas

Muitas mamães ficam receosas quando vão levar os bebês para fazer o teste, pois normalmente eles choram durante a realização do exame. Mas elas precisam se conscientizar de que o teste do pezinho é fundamental para prevenir várias doenças, que se não tratadas adequadamente, podem causar sequelas irreversíveis e até mesmo levar a óbito. Além disso, o calcanhar é uma região rica em vasos sanguíneos, o que facilita a coleta, tornando-a quase indolor para a criança.