Teste de laboratório mostra que “réplicas” de quadros são um grande perigo

0
283

O site Velonews realizou um teste de um quadro comprado no site DHGate.com, um desses site chineses que vendem quadros chamados de “OEM” ou “Réplicas” dos originais.

O Velonews testou uma bike de um leitor chamado Mike Parson, triatleta que já foi corredor de motocross e caiu na bobagem de comprar um quadro desses. Ele cedeu o seu quadro para o site realizar os testes, após vivenciar constantes chime de velocidade (quando a bike começa a tremer após uma certa velocidade).

A réplica que Parson tinha comprado, era de uma Specialized S-Works SL4. O Velonews então levou essa bike para o Microbac Laboratories, para que os testes fossem realizados. E adivinhem os resultados?

Esses argumentos que você tanto escuta, ou usa no caso de quem insiste em se aventurar com uma armadilha dessas, de que os quadros são feitos em uma mesma fábrica na china e que o carbono o processo e os moldes são o mesmo, não são verdadeiros… As bicicletas tem diferenças gritantes estruturalmente falando e até mesmo visualmente em alguns aspectos.

O teste

Foram realizados vários testes, desde uma comparação visual, que mostrou que realmente ambos são visualmente bem parecidos, apesar de algumas pequenas diferenças.

Mas o primeiro argumento caiu logo. O SL4 falsificado não veio do mesmo molde do SL4 original. Se tivesse vindo, os quadros teriam a mesma geometria, o que não acontece. Nenhum dos tubos da bike falsificada tem as mesmas dimensões dos originais.

O peso dos quadro é parecido: 1.460g para o original e 1.570 para o falsificado. Isso por conta de uma bucha seladora utilizada na caixa de direção, que no caso do falsificado é de baixa qualidade e mais pesada.

A construção da caixa de direção é gritantemente diferente. O quadro original usa copos de carbono integrados com o quadro, enquanto o falsificado usa copos de alumínio colados ao carbono, que não aguentariam nenhum tipo de teste de resistência. Mesmo nos testes mais simples de movimento, o quadro falsificado mostrou um “jogo” na caixa de direção, maior do que deferia.

No teste de rigidez, o quadro falsificado se mostrou 11% menos rígido do que o quadro original, o que mostra, mais uma vez, que não utilizam o mesmo processo de construção.

O quadro então foi cortado para se analizar a estrutura da fibra de carbono. Cada tubo foi cortado e analisado em diferentes partes. A resistência de todas as partes foi analisada. Como o velovews disse, os testes mostraram que “a SL4 original foi desenvolvida para ser uma bike de performance e a SL4 falsificada por desenvolvida para se parecer com a SL4.”

Nos testes de resistência das partes dos tubos, na bike original, a parte superior do Downtube da é mais resistente do que a parte de baixo. Já na bike falsificada, o parte superior (próxima a caixa de direção) é mais fraca do que a parte de baixo, perto da caixa de direção.

A parte de cima do downtube da original tem um Modulo de Elasticidade (medida de resistência de um material a deformação) de até 40 milhões PSI, enquanto o falsificado tem essa medida variando entre 7 e 10 milhões PSI…

Outro teste realizado foi o de ampliar a fibra de carbono para verificar a estrutura da fibra em sí. As grandes empresas de bike utilizam as tais das “high-modulus carbon fiber”, que são tipos de fibra de carbono de alta qualidade organizadas de uma maneira tal, que deixa o quadro mais rígido, mais leve e mais resistente. No caso das falsificadas, eles simplesmente enfiam o carbono de qualquer jeito em um molde e vão verificando a espessura e o peso. Vejam a comparação entre a organização da fibra no quadro original à esquerda e a bagunça do quadro falsificado à direita.

Então pessoal… Se você quer se arriscar e comprar uma bomba-relógio dessas e dizer que você tem uma amigo que tem um desses a 2 anos e que nunca aconteceu nada com ele, enquanto você já viu VÁRIOS quadros de marca quebrando… Beleza! Boa sorte! Mas pare de dizer para os outros que é a mesma coisa que um quadro original, porque NÃO É!

A sugestão é… Não coloque sua segurança em risco para ficar ostentando que tem um quadro de carbono “TOP”. Existem N opções de quadros excelentes de alumínio ou mesmo quadros de carbono de linhas mais básicas das marcas que realmente tem alguma preocupação com a qualidade de seus produtos.

Se não tem condições ou não acha que valha a pena pagar tanto dinheiro em uma quadro de carbono TOP… Não tenha um. Ou pelo menos não compre um falsificação barata achando que está comprando um produto de qualidade.