Tentativa de roubo a carro de policial gera troca de tiros em Goiânia

Para fugir, assaltante rendeu casal e levou outro veículo, no Setor Bueno.

tirosMoradores do Setor Bueno, bairro nobre de Goiânia, ficaram assustados com um tiroteio na região na noite de quarta-feira (5). Um criminoso tentou roubar o veículo de um agente da Polícia Civil que estava estacionado em frente a um colégio no cruzamendo das Ruas T-5 e T-13 . O policial chegou a entregar as chaves, mas reagiu em seguida e trocou tiros com o suspeito. Para fugir, o assaltante roubou outro veículo onde um casal estava. Um suspeito foi preso na madrugada.

A região estava movimentada no momento do crime, pois uma feira livre era realizada nas proximidades. O agente aguardava a saída da filha do colégio quando sofreu a abordagem. Ele conta que entregou a chave e saiu do veículo para depois atirar contra o assaltante.

“Eu não atirei na hora que ele sentou no banco porque sempre tem cobertura, sempre tem alguém para dar cobertura. Aí eu recuei para cá, olhei ao redor, não vi [a cobertura], arrisquei. Pelo menos o impedi de levar o carro e acho que devo ter acertado ele porque, segundo testemunhas, ele saiu mancando”, disse o policial Divino Raposo.

Segundo a Polícia Militar, o suspeito tem 21 anos e foi encontrado na madrugada em um Cais em Senador Canedo, na Região Metropolitana da capital. Ele foi atingido por tiros no pescoço e nas costas. Depois, o rapaz foi transferido para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) onde está em estado regular. Não há informações sobre o veículo roubado.

Susto
Na troca de tiros, outro veículo foi atingido pelo disparo e teve o vidro danificado. A mulher que estava na direção do veículo usado para a fuga disse estar revoltada com a violência. “Esse é o terceiro assalto neste ano que eu estou vivenciando no estado de Goiás. Acho que as autoridades têm que fazer alguma coisa. A gente não tem paz nem para chegar na casa da gente”, disse a mulher que não quis ser identificada.

Outra moradora do bairro também relata a sensação de insegurança. “Um setor bom como esse, em um dia de movimento porque tem a  feira aqui, e a gente se depara com uma situação dessa, de total pavor, pânico. Poderia ser o meu filho, poderia ser um vizinho”, lamentou a advogada Ana Peixoto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios