Suspeito de matar mulher em ritual do Daime em Goiás é preso em SC

0
166

Deise Faria Ferreira está desaparecida desde julho de 2015.

Um homem de 40 anos foi preso temporariamente na tarde de terça-feira (26) em Bombinhas, no Litoral Norte de Santa Catarina,suspeito de matar e ocultar o cadáver de uma auxiliar de enfermagem de 41 anos em Goiânia (GO). Deise Faria Ferreira foi vista pela última vez em 11 de julho de 2015, em um ritual da seita Daime.

Segundo a Polícia Civil, o homem fazia uma trilha na Praia de Zimbros quando foi localizado e tentou fugir, mas foi imobilizado e preso pelos policiais.

Os agentes foram informados pela polícia de Goiás de que este homem estava se escondendo no município. Após a prisão, ele foi levado para seu estado de origem. O suspeito, conforme a polícia, é engenheiro agrônomo e natural de Goiânia.

O caso
A auxiliar de enfermagem foi vista pela última vez em 11 de julho, mas os parentes só foram informados quase 24 horas depois, quando os membros da seita Daime levaram o carro da vítima até a família. A partir de então, a polícia foi acionada e deu início às investigações.

Segundo a Polícia Civil, Deise frequentava a seita Daime havia cerca de três meses e teria bebido diversas vezes o chá da ayahuasca – usado nos rituais religiosos e, conhecido por possuir efeitos alucinógenos. Segundo os policiais, à família foi dito que ela desapareceu após ingerir o chá, durante um ritual, em uma chácara da capital goiana.

O Corpo de Bombeiros realizou as buscas por Deise na região em que ela desapareceu até o dia 17 de julho.

Durante as buscas foram encontradas peças de roupa com manchas próximas à chácara em que ela foi vista pela última vez. A Polícia Civil realizou testes e concluiu que a substância não era sangue, mas não soube precisar o que teria gerado a mancha.

Prisão
De acordo com o delegado Anselmo Cruz, o corpo da auxiliar não foi encontrado até agora, por isso além de suspeito de homicídio, o preso é investigado pela ocultação do cadáver. A polícia catarinense não informou as razões que o tornaram suspeito. O G1 não conseguiu contato com o delegado de Goiás responsável pelo caso até o fechamento da reportagem.

“A investigação efetivamente está a cargo da Polícia Civil de Goiás, que concentra exclusivamente os detalhes do caso. Os policiais nos repassaram informações sobre o paradeiro deste homem e, depois de diligências feitas durante toda terça-feira pelo município por sete agentes, localizamos o rapaz”, relata o delegado Anselmo Cruz.

De acordo com Anselmo Cruz, o agrônomo, enquanto se escondia em Santa Catarina, não exercia qualquer atividade nem mesmo práticas religiosas.

G1