Sem inadimplência, Ipasgo inventa crise para cortar consultas e exames

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

A recente notícia de que o Ipasgo reduziu, a mando do governador Marconi Perillo (PSDB) e de seu vice, José Eliton (PSDB), o número de consultas e de exames de seus credenciados continua irritando muitos funcionários públicos de Goiás, uma vez que o órgão colocou culpa na crise econômica para justificar a punhalada nas costas de seus clientes.

O problema é que o Ipasgo, ao contrário de outros planos de Saúde, não sofre com inadimplência, uma vez que o desconto do honorário do plano de saúde é feito com desconto na folha de pagamento do servidor do Estado. Somente esse fato já põe por terra a justificativa do órgão para cercear um direito do cidadão.

A decisão desumana do Ipasgo ainda trás mais constrangimento para os usuários do plano de saúde, que tem que ter seus pedidos de exames analisados pelo órgão, sendo que várias doenças exigem muito mais do que cinco exames, como lúpus, câncer, dentre outras. Marconi e seu vice começaram bem 2016, atingindo agora o servidor onde mais dói: no momento da doença.

GoiasReal

Notícia postada em  

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e nosso Termos de Uso, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.