Segundo dia de provas do Enem termina com tranquilidade em Goiás

No total, segundo Inep, mais de 268 mil alunos se inscreveram no estado

enemO segundo dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), neste domingo (9), terminou sem problemas em Goiás. De acordo com a Polícia Militar, não foi registrada nenhuma ocorrência nas imediações dos locais onde foram realizados os exames. Nessa etapa foram aplicadas as provas sobre linguagens e códigos, que engloba português e língua estrangeira (inglês ou espanhol) e de matemática, além da redação. Os candidatos tiveram cinco horas e meia para concluir as questões.

O tema da redação, que foi “Publicidade Infantil no Brasil”, foi a surpresa para a maioria dos estudantes, que esperavam outros assuntos. “Eu achava que iam falar sobre racismo, os problemas com a falta de água e até questões políticas. Mesmo assim, achei o tema desafiador e acho que fiz a minha parte”, disse a operadora de caixa Kaline Borges de Araújo, 24 anos, que busca uma vaga em direito.

Segundo ela, que prestou o Enem pela segunda vez, as provas foram mais elaboradas desta vez. “Parece que eles tiveram um cuidado maior, explicaram mais sobre cada questão. Mas isso também deixou a leitura ainda mais demorada e pode ter prejudicado muita gente”, disse Kaline.

Para o motorista José Nelson Carlos da Silva, 37 anos, que fez o Enem pela primeira vez, toda a prova do segundo dia foi complicada. “Achei as questões muito grandes, cansativas. Não sei se pelo fato de ser o meu primeiro exame, mas achei difícil”, destacou.

Já  a estudante Letícia de Souza, 18 anos, achou a prova tranquila. “Eu estava me preparando muito, então caiu muita coisa que eu já esperava. O tema da redação que foi mesmo a surpresa, mas acho que consegui desenvolver um bom texto”, disse.

Neste ano, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), 268.856 se inscreveram no estado, o que representou uma alta de 37,5% em relação ao ano passado, quando 195.883 estudantes participaram da prova.

Correria
Os portões das instituições onde foram aplicadas as provas fecharam pontualmente às 13h. Para não perder a entrada, muitos estudantes fizeram filas horas antes da abertura dos portões, às 12h. Mesmo assim,houve correria de alguns que chegaram minutos antes do fechamento.

Em Goiânia, a estudante de pedagogia Odalice Pereira da Silva, 44 anos, só conseguiu entrar na Faculdade Araguaia, no Setor Bueno, em Goiânia, após receber ajuda de uma colega. O problema aconteceu porque ela estava com a filha Gabriela, de 21 anos, que tem paralisia cerebral, e os fiscais não permitiram a entrada e permanência da acompanhante. Sensibilizada com o caso, a também estudante de pedagogia, Cleonice Barros Bonfim, 28, desistiu de fazer a prova para cuidar da garota.

G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios