Aparecida de Goiânia, quarta-feira, 22 de setembro de 2021
Pandemia

Saúde identifica 3 casos da variante delta no município

Redação
7 de agosto de 2021

A identificação foi possível graças ao Programa de Sequenciamento Genômico da Prefeitura, trabalho iniciado em abril deste ano. A iniciativa é a maior estratégia do gênero realizada em uma cidade brasileira e será ampliada no município para monitorar a circulação da variante delta.

Em entrevista concedida à imprensa na manhã desta sexta-feira, 6 de agosto, na Cidade Administrativa, o secretário de Saúde de Aparecida de Goiânia, Alessandro Magalhães, informou que foram detectados três casos do variante delta do novo coronavírus em moradores da cidade. Segundo o secretário, a delta foi verificada em um homem e duas mulheres, todos de uma mesma família e moradores da Região do Garavelo.

Dentre eles, um senhor de 67 anos está internado no Hospital Garavelo em estado grave, mas a esposa dele, de 60 anos, e a filha, de 34 anos, já estão curadas. “Todos são casos de infecção no mês de julho e como ainda não identificamos como se contaminaram, afirmamos, a princípio, que já existe a transmissão comunitária dessa variante na Região Metropolitana, tendo em vista que a mulher mais jovem trabalha em Goiânia,” informa ele.

O gestor acrescenta que já comunicou a detecção da delta à Secretaria Estadual de Saúde (SES) assim que o resultado do sequenciamento saiu, às 21h desta quinta-feira, 5 de agosto: “Hoje estamos formalizando essa notificação e informando que, dentre os três, o primeiro caso, o da filha, foi diagnosticado como covid-19 no último 9 de julho, depois a senhora no dia 16 e o senhor foi internado no dia 21 de julho. ”

Sequenciamento vital

A detecção da variante foi possível graças ao Programa de Sequenciamento Genômico da Prefeitura de Aparecida, trabalho iniciado em abril deste ano e já consolidado como rotina na Secretaria Municipal de Saúde (SMS). A iniciativa é a maior estratégia de vigilância genômica já realizada em uma cidade brasileira segundo a plataforma internacional GISAID, entidade com banco de dados sobre genomas de vírus.

De acordo com o secretário, até o momento, Aparecida já executou 1.271 sequenciamentos, técnica que permite identificar a informação genética contida nas amostras dos exames RT-PCR realizados maciçamente na cidade e que já identificou 13 variantes no município: “A predominante é a P1, e, da primeira quinzena de maio para cá, temos percebido o crescimento dela com uma mutação, a P681H, com potencial para justificar esse aumento de casos verificado em todo o Estado”.

Em face de detecção da delta, Alessandro Magalhães destaca que será intensificado o sequenciamento em Aparecida para monitorar a presença da variante dentro do cenário local de circulação de outros 13 tipos do vírus. Ele ressalta: “Ainda não sabemos como a delta se comportará em face da P1, predominante na cidade e responsável por 99% das amostras analisadas aqui. Até o início de maio tínhamos a alfa circulando, que é originária do Reino Unido, depois ela deu lugar à dominante P1 com uma mutação importante, a P681H, que permite reinfecções ou até mesmo o agravamento dos casos em pessoas vacinadas. Esta representa, agora, 44% dos casos em Aparecida”.

Testagem permanente

O secretário enfatiza que “com a ampliação da quantidade de amostras sequenciadas, poderemos interceder o mais rápido possível caso seja necessário. A testagem é o alicerce do enfrentamento à covid-19 em Aparecida, ela mostra o cenário da pandemia com clareza e sabemos que não testar pode mascarar casos. A testagem em massa feita aqui tem contribuído para embasar estratégias bem-sucedidas e é por isso que em Aparecida temos números de letalidade, mortalidade e de ocupação de leitos menores quando comparados ao Estado, ao País e à Capital, Goiânia”.

300 MIL TESTAGENS DA COVID19 FOTO RODRIGO ESTRELA 13 SITE

Banco de dados preciso

Para realizar o sequenciamento genômico, segundo Alessandro Magalhães, todas as amostras de material coletadas para a realização dos RT-PCR’s que têm resultado positivo para a covid-19 são armazenadas. O secretário explica que isso gera “um excelente banco de dados que, se bem aproveitado e estudado, tem o potencial de nos ajudar a entender melhor a dinâmica de evolução e dispersão do vírus. Por isso investimos na contratação de parceiros que dispusessem de tecnologia e equipe treinada para a realização do sequenciamento”.

Comportamento do vírus

Alessandro salienta que enquanto o Sars-CoV-2 (Novo coronavírus) estiver circulando, infectando e reinfectando pessoas, ele sofre mutações: “Esse é um processo natural da replicação do vírus e algumas variantes têm um maior poder de adaptação gerando novas linhagens mais infectantes, letais ou com escape imunológico. Daí a importância de se identificar e monitorar as variantes em circulação para entender melhor a dinâmica de evolução e dispersão do vírus”.

VACINACAO 28 FOTO CLAUDIVINO ANTUNES 21 SITE 5

Alerta: a prevenção tem que continuar

Ao longo de toda a coletiva, Alessandro Magalhães reforçou que as medidas preventivas contra a covid-19 precisam ser mantidas pela população: “O uso correto de máscara, tapando o nariz e a boca, a ventilação dos ambientes, a higienização das mãos e o distanciamento social continuam indispensáveis, mesmo para quem já se vacinou. E sobretudo é preciso se vacinar, quem já está na hora de receber a imunização deve fazê-lo o quanto antes e quem está no momento da segunda dose também. A vacinação, com qualquer um dos imunizantes disponíveis no Brasil, é fundamental e continua salvando vidas”.

DENÚNCIA DE IRREGULARIDADES?

envie um email para

[email protected]

2005 - 2021
magnifiercross linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram