Saúde de Aparecida promove Encontro de Conscientização sobre Autismo

Da Redação
06/04/2022 - 19:31
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Saúde de Aparecida promove Encontro de Conscientização sobre Autismo

“3º Encontro de Conscientização Sobre o Autismo do CAPSi Alegria” mobilizou mais de duzentas pessoas para trocar vivências, derrubar preconceitos e divulgar os tratamentos ofertados pela rede pública

A Secretaria de Saúde de Aparecida (SMS) realizou, na manhã desta quarta-feira, 6 de abril, o “3º Encontro de Conscientização Sobre o Autismo do CAPSi Alegria”. O evento celebrou o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, 2 de abril, com o tema “Lugar de Autista é em Todo Lugar” e reuniu mais de duas centenas de pessoas no Parque da Família, em frente ao Aparecida Shopping, das 9h às 11h, para debater o assunto, divulgar a rede de atendimento, conscientizar as pessoas e derrubar preconceitos.

“Este é um momento de confraternização e apoio entre profissionais, pacientes e familiares com foco na conscientização para desmistificar preconceitos e valorizar a vida humana, suas facetas e vivências. Os autistas têm o direito de estar inseridos na sociedade e de serem respeitados e compreendidos”, afirmou a coordenadora de Saúde Mental da SMS, Carolina Sartori.

A coordenadora destacou que a rede da SMS atende aos pacientes autistas crianças e adolescentes, com acolhimento inicial sem necessidade de encaminhamento, no Centro de Atenção Psicossocial Infanto-Juvenil Alegria (CAPSi Alegria), na Rua 29, quadra 85 A, lote 13, na Vila Brasília.

Terapias essenciais

Moradora do Parque Itatiaia, Kelly Araújo é mãe da menina Ana, 11 anos, paciente do CAPSi. Para ela, a unidade “foi uma salvação, quando a minha filha começou a ser atendida lá não entendíamos o que ela falava, ela não conseguia se comunicar nem se socializar, e com as terapias começou a se desenvolver muito. Para nós, é um lugar essencial, não podemos mais ficar sem o CAPSi. ”

Kelly enfatizou: “Eu gostaria que todos olhassem os autistas com um olhar diferente, de carinho, porque eles olham para as pessoas ditas “normais” com esse carinho. Minha filha é muito especial, ela é uma pessoa boa que consegue juntar o sentimento com o pensamento. Ela é uma criança com sentimento, ânimo e afeto muito fortes”.

Como conseguir atendimento

A gestora do CAPSi, Eurides Santos Pinho, explicou que “orientamos as pessoas que querem buscar esse atendimento ou tirar dúvidas para que nos liguem no número 3545-7006. Aí diremos quais documentos devem ser levados, marcaremos uma avaliação na unidade e faremos um acolhimento inicial para identificar as demandas, a proposta de tratamento, tanto para crianças e adolescentes, assim como o acompanhamento familiar, que é imprescindível para o sucesso e a evolução positiva do caso.”

Manhã de conscientização e carinho

O Encontro, promovido pela Coordenação de Saúde Mental, começou com uma caminhada com profissionais da Saúde, pacientes da rede e seus familiares. Muitos usavam a cor azul, símbolo do autismo. Crianças movimentaram as atividades brincando num pula-pula e expondo pinturas, além de participar dos relatos e rodas de conversas. Houve, ainda, distribuição de panfletos educativos e depoimentos de familiares de pacientes sobre os desafios e vitórias vividos desde o diagnóstico do transtorno do espectro autista (TEA) até o tratamento e os resultados positivos obtidos.

Após os depoimentos, foi servido um lanche com cachorro-quente, pipoca, refrescos e doces. Ao longo do evento, que contou também com a presença de membros da Associação dos Familiares e Amigos dos Autistas de Goiás (Afaag), os participantes tiveram à disposição estandes com orientações, atendimentos de auricoloterapia (Técnica terapêutica, semelhante à acupuntura, que ajuda a tratar problemas de saúde), rodas de músicas e de conversas.