Rio cancela carnaval de rua

Da Redação
06/01/2022 - 03:55
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Rio cancela carnaval de rua

As autoridades do Rio de Janeiro decidiram cancelar a participação de blocos e bandas pelas ruas da cidade em função do aumento do número de casos de Covid-19 e da procura pelas unidades de saúde.

carnaval dos blocos de rua, como o de 2020, não será realizado em 2022 – Arquivo/Prefeitura do Rio

O país registrou mais de 619 mil mortes e mais de 22 milhões de pessoas contaminadas pela doença.

A festa no Rio de Janeiro poderá ser feita apenas em locais fechados, desde que os participantes apresentem comprovante da vacina e testes negativos para a doença. Também foi liberado o desfile das escolas de samba no Sambódromo da cidade.  A decisão foi tomada em reunião entre o prefeito Eduardo Paes (PSD) e representantes dos blocos de Rua, que devem ainda apresentar uma contraproposta.

Contando com o Rio de Janeiro até agora o Carnaval foi cancelado em nove capitais: Belo Horizonte (MG), Salvador (BA), Fortaleza (CE), Teresina (PI), Cuiabá (MT), Campo Grande (MS) Curitiba (PR) e Florianópolis (SC).

Já São Paulo, que tem registrado um grande número de blocos de Rua deve decidir nesta quinta-feira (6), o destino da festa. São cerca de 870 blocos inscritos para desfilarem entre 19 de fevereiro e 6 de março. Ainda assim 28 blocos já cancelaram suas participações no carnaval, entre eles estão os das cantoras Daniela Mercury (Pipoca da Rainha) e Gloria Groove (Bloco das Gloriosas), a produtora de funk Kondzilla (Bloco do Kondzilla) e o ator e cantor Tiago Abravanel (Bloco do Abrava).

No último levantamento feito pelo Portal CUT, no mês passado, a posição de estados e cidades era a seguinte:

Ainda não foi definido será haverá festas nas cidades de Aracaju (SE), Brasília (DF), Goiânia (GO), João Pessoa (PB), Macapá (AP), Manaus (AM), Natal (RN), Recife (PE), São Luís (MA), Vitória (ES). Palmas (TO) não costuma ter carnaval de rua.

No Espírito Santo, por enquanto a única decisão por cancelar o carnaval foi tomada na cidade de Guarapari. O motivo é que a cidade ainda não tem 90% da população vacinada.

Em Manaus, o carnaval também está confirmado com apoio financeiro, inclusive, da prefeitura.

Em Recife, onde a tradição são os blocos de rua, também há um impasse e pressão sobre setores empresariais para que a prefeitura realize a festa. Mas, por enquanto, a administração da capital pernambucana informou que seguirá as orientações de autoridades sanitárias, governo do estado e do Ministério da Saúde.

O tradicional bloco carnavalesco “Eu Acho é Pouco”, fundado há 44 anos, anunciou que não vai desfilar no carnaval deste ano. Pelo menos 70 cidades do estado cancelaram o carnaval.

Há ainda incerteza sobre a realização nas cidades de Pernambuco em que o Carnaval também é tradicional. A Capital do Forró, Caruaru, Pesqueira e Bezerros são exemplos de cidades que ainda aguardam as diretrizes do governo do estado para uma decisão. Mas a prefeitura de Olinda, que chega a receber quatro milhões de turistas no Carnaval, anunciou nesta quarta(5) que a festa também está cancelada na cidade.

Em João Pessoa, na Paraíba, não há festividades no período de Carnaval, apenas algumas atividades como o Projeto Folia de Rua, que as autoridades ainda estão discutindo se liberam. O prefeito Luciano Cartaxo (PP) quer liberar as aglomerações, mas o governo do estado, liderado por João Azevedo (PSB) quer restringir acesso de pessoas a 50%. Várias prefeituras do estado aguardam a decisão tanto do governo do estado sobre medidas de prevenção à contaminação para se posicionarem.

No Ceará, o governador Camilo Santana (PT) já posicionou contra a realização de grandes eventos como o carnaval.

No interior de outros estados, destinos tradicionais também estão cancelando a festa, segundo o G1. Ouro Preto (MG) oficializou cancelamento do carnaval e proibiu eventos e festas em ruas, repúblicas e sítios. Os outros 29 municípios que fazem parte da Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais também decidiram, por unanimidade, não promover o carnaval em 2022.

No estado de São Paulo, mais de 70 cidades já cancelaram o carnaval, todas no interior paulista. Veja a relação:

  • Águas de Lindóia
  • Altinópolis
  • Américo Brasiliense
  • Amparo
  • Barrinha
  • Borborema
  • Botucatu
  • Cabreúva
  • Caconde
  • Caçapava
  • Campo Limpo Paulista
  • Cássia dos Coqueiros
  • Cunha
  • Descalvado
  • Dobrada
  • Dumont
  • Franca
  • Gavião Peixoto
  • Guariba
  • Guatapará
  • Holambra
  • Iacanga
  • Ibitinga
  • Itápolis
  • Itatiba
  • Itupeva
  • Jaboticabal
  • Jacareí
  • Jaguariúna
  • Jarinu
  • Jundiaí
  • Lagoinha
  • Lindóia
  • Lins
  • Louveira
  • Migelópolis
  • Motuca
  • Mogi das Cruzes
  • Monte Alegre do Sul
  • Monte Alto
  • Monteiro
  • Natividade da Serra
  • Nova Europa
  • Paraibuna
  • Pedreira
  • Pitangueiras
  • Poá
  • Potirendaba
  • Pradópolis
  • Redenção da Serra
  • Rifania
  • Rincão
  • Roseira
  • Salesópolis
  • Santa Ernestina
  • Santa Isabel
  • Santo Antônio do Pinhal
  • Santa Lúcia
  • Santa Cruz da Esperança
  • Santa Rosa do Viterbo
  • Santo Antônio da Alegria
  • São Bento do Sapucaí
  • São Luiz do Paraitinga
  • São Simão
  • Serra Negra
  • Socorro
  • Suzano
  • Taquaritinga
  • Taubaté
  • Ubatuba
  • Valinhos
  • Várzea Paulista
  • Vinhedo

Em Bauru, também no interior de São Paulo, a prefeita bolsonarista Suellen Rosim (Patriota), afirmou que a prefeitura não organizará, mas liberou festas de rua para quem quiser fazer.

Variante Ômicron preocupa

Apesar do apagão nos dados do Ministério da Saúde após um ataque hacker ao seu sistema, as autoridades médicas alertam para a variante Ômicron, que segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) é mais contagiosa.

Fonte: CUT