Revoltante! Marconi gasta com Fórmula 200 e não paga nem UTI

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

A irresponsabilidade do governador Marconi Perillo (PSDB) na gestão do Estado ultrapassou todos os limites. Enquanto pacientes morrem em Itumbiara por falta de UTI pública, o governo continua repassando verba para shows no interior e para a Fórmula 200. Esse é apenas um exemplo de como Goiás é governado hoje sem o menor critério de prioridade e relevância.

Pelo menos três pacientes já morreram em Itumbiara por falta de UTI. Na cidade, havia convênio do Estado com um hospital particular, que disponibiliza 10 leitos para pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). As contrapartidas do governo federal e da prefeitura estão regulares, mas o Estado deve ao hospital mais de R$ 2 milhões. Com o atraso, a unidade deixou de receber pacientes, gerando caos. Os leitos de Itumbiara atendem, ao todo, 250 mil pessoas dos municípios da região.

Questionada insistentemente pela TV Anhanguera, que acompanha a situação de perto, a Secretaria da Fazenda informa apenas que não há recursos e nem previsão para o pagamento e volta do funcionamento das UTIs em Itumbiara. Até lá, pacientes que necessitem de UTI continuarão sem atendimento. O que a secretária Ana Carla Abrão não explica, porém, é por que continua gastando dinheiro público com o pagamento de shows e campeonatos como a Fórmula 200.

Em 2015, o governo estadual gastou R$ 750 mil promovendo as etapas da competição de automobilismo, que existe apenas em função do patrocínio público. Na primeira etapa de 2016, em Inhumas, o Estado já gastou mais R$ 250 mil (leia aqui). Além disso, somente no carnaval desse ano o governo torrou mais de R$ 2,3 milhões com pagamentos de shows. (Leia aqui).

Qual o sentido de Marconi continuar gastando dinheiro com shows e campeonato de automobilismo se o governo não consegue manter sequer UTI funcionando?

GoiásReal

Notícia postada em  

  • 21 de março de 2016
  • Da Redação