Reforma de Perillo não surte efeito e Estado fecha 1º quadrimestre com déficit de R$ 100 milhões

0
67

Mesmo com a propalada reforma administrativa sustentada pelo Governo de Marconi Perilo, o Estado de Goiás fechou o primeiro quadrimestre de 2015 com déficit de R$ 100 milhões, anunciou ontem (24), a Secretária Ana Carla Abrão falando aos Deputados em visita que fez a Assembleia.

Diferentemente do que tem sido divulgado, a arrecadação do estado não recuou, pelo contrário, apresentou aumento real de 1,5% se comparada ao mesmo período de 2014, já descontado o IPCA do período. De janeiro a abril de 2014 o Estado arrecadou R$ 5,5 bilhões contra R$ 6 bilhões no mesmo período de 2015.

Embora tenha anunciado que o endividamento do estado esteja sob controle, dados obtidos junto ao Banco Central apontam um crescimento elevado da dívida consolidada do Estado, que chega a R$ 17,3 bilhões. Ana Carla não escondeu sua grande preocupação de que o Estado consiga manter-se dentro do que foi pactuado na LDO, uma vez que são mínimas as expectativas de recuperação da economia brasileira no próximo semestre.

Segundo a Secretária, no âmbito das despesas tributárias fiscais “houve um crescimento de 0,83% (de R$ 3,4 bilhões em 2014 para R$ 3,7 bilhões em 2015), justificados por causa do crescimento vegetativo da folha de pagamento, motivado, por exemplo, pelo cumprimento de acordos salariais anteriores ou pela reposição de vagas”, disse, muito embora todos nós sabemos que não foram pagos o data-base de nenhuma categoria no estado.

Questionada sobre o perdão fiscal de mais de $ 1 bilhão concedido à empresa JBS, da família de Júnior Friboi, Ana Carla se limitou a dizer que foi uma operação legítima aprovada pela casa.

Sentindo-se em casa, a Secretária não foi em momento algum questionada acerca do rombo bilionário, na ordem de R$ 1,4 bilhão, na conta centralizadora do Estado e que mereceu ressalva do TCE-GO em julgamento das contas de 2014 do Governador Marconi Perillo.

Opinando