Nutricionista de Harvard explica porque devemos comer gordura

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

Por Rebecca Harrington Via Business Insider (clique aqui para ver o texto original em inglês)

Por décadas nos ensinaram que não é bom comermos muita gordura. Lembra da pirâmide alimentar que ilustrava quase todos os textos sobre boa alimentação?

Para as gorduras “ruins”, como as gorduras trans, a recomendação continua sendo de evitá-las ou até eliminá-las do nosso cardápio.

Mas as evidências que estão surgindo nas pesquisas científicas mais recentes desmentem essa crença tradicional (da pirâmide alimentar) e indicam que dietas low-carb, high-fat podem ser benéficas à nossa saúde.

Um defensor desta linha de pensamento é o Dr. David Ludwig (drdavidludwig.com), especialista em nutrição e obesidade formado pela Harvard Medical School, que conversou recentemente com a Tech Insider e justificou seus pontos de vista a respeito disso.

Em seu livro, “Always Hungry” (Sempre com fome) ele esboça as diretrizes para uma de dieta baseada nessas evidências com ênfase no QUE se come e não somente no QUANTO se come.

E Ludwig explica porque seu plano, baseado em pesquisas científicas, ainda não é aceito por muita gente da comunidade científica. Quando comemos carboidratos processados, como pão ou guloseimas, o nível de insulina no seu corpo dispara.

Isto faz com que as células gordas do nosso corpo atraiam e retenham a gordura para elas. Com mais calorias armazenadas nas células gordas, diz Ludwig, a quantidade de caloria no sangue diminui e o nosso cérebro nos leva a pensar que estamos com fome.

E, uma das maneiras mais rápidas de acumular mais calorias no sangue é comer mais carboidratos processados. Assim, nós os comemos mais e mais.

É um círculo vicioso que pode acarretar uma maior lentidão no nosso metabolismo e, eventualmente, em obesidade.

O que podemos fazer para romper este círculo vicioso?

O que temos de fazer é cortar os carboidratos da nossa alimentação, especialmente os processados e com grande quantidade de açúcar adicionado, e comer mais gordura. Assim, você substitui o carboidrato processado por uma dieta mais deliciosa e satisfatória rica em gordura.

Qualquer “chef” de cozinha sabe que a melhor maneira de fazer uma comida gostosa é utilizando bastante gordura.

E, o melhor, não precisa ficar com aquela sensação de culpa de antigamente. Ao contrário do que muita gente imagina, os estudos descobriram que a substituição dos carboidratos processados por gordura faz com que nos tornemos menos sujeitos a desenvolver doenças cardíacas e nossa pressão sanguínea tende a diminuir.

Ludwig recomenda que se coma bastante abacate, azeite de oliva e nozes. Obviamente numa dieta rica em alimentos gordurosos deverão estar presentes, também, outros alimentos saudáveis como frutas, vegetais e proteínas.

É sempre agradável saber que as gorduras não são problemáticas como sempre nos fizeram crer.

Notícia postada em  

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e nosso Termos de Uso, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.