Quase um em cada três moradores de Buenos Aires vive abaixo da linha da pobreza

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

argentinaO governo de Buenos Aires divulgou nesta quarta-feira (04/06) que quase um em cada três moradores – precisamente 28,4% da população da cidade – vivem abaixo da linha de pobreza. O número, que indica uma redução de 1,5 ponto percentual em relação a 2012, faz parte da Pesquisa Anual de Lares da Direção Geral de Estatísticas e Censos da administração local e é relativo a 2013.

O total também inclui os portenhos com renda insuficiente para as necessidades básicas alimentares diárias, categoria em que houve uma queda de 2,8 pontos percentuais em relação a 2012: 5,6% em 2013, contra 7,8% em 2012.

Como possíveis causas da redução da pobreza e a indigência, a pesquisa assinala o aumento de renda “em níveis similares à inflação” em 2013, que consultoras privadas situaram em 28,3%, e despesas significativas, como o aluguel do imóvel, que subiram abaixo desse número. O aumento salarial médio em 2013 foi de 26,1%, enquanto as aposentadorias, pensões e subsídios familiares, com maior impacto nas famílias com menores rendas, aumentaram acima de 30%.

A pesquisa diz que deve haver um aumento no número de domicílios e pessoas com renda insuficiente em 2014, por conta da desvalorização do peso argentino no começo do ano – o que pressionou os preços e deve ter impacto nos índices de inflação.

Não se sabe, no entanto, qual o índice de pessoas que vivem abaixo da linha da pobreza a nível nacional, já que o Indec (Instituto Nacional de Estatísticas e Censos) suspendeu a divulgação dessas estatísticas. O motivo alegado pelo órgão é o surgimento de um novo método de medição dos índices de inflação, que bateu em 11,5% no primeiro quadrimestre de 2014.

(*) Com Efe

Notícia postada em  

  • 6 de junho de 2014
  • Da Redação