Professor de educação física é preso suspeito de pedofilia, em Goiás

Fotos e vídeos pornográficos com menores foram apreendidos na casa dele.

menor_2Um professor de educação física, de 52 anos, foi preso suspeito de pedofilia, em Inhumas, na Região Metropolitana de Goiânia. Segundo a Polícia Civil, há a denúncia de que ele abusou de crianças e adolescentes, aliciados em troca de dinheiro e presentes. Fotos, vídeos e mensagens trocadas com menores foram flagradas no notbook e no celular apreendidos na casa do docente, que atua na rede municipal de ensino.

O secretário de Educação de Inhumas, Charles Rodrigues Nascimento, informou ao G1 que o professor trabalhava há 20 anos na rede municipal e não havia reclamações em seu desfavor. No entanto, após a prisão do servidor, ele foi afastado de suas funções até o fim do processo. O secrétario lamentou o fato e disse que vai tomar todas as providências necessárias.

O professor foi preso na última sexta-feira (9), em sua casa. Ele era investigado há quatro meses, após as denúncias de dois meninos, um de 11 e outro de 16 anos, que disseram ter sido abordados pelo professor, mas não chegaram a manter relação sexual.

Responsável pela investigação, o delegado Humberto Teófilo explicou ao G1 que a Justiça concedeu o mandado de busca e apreensão na casa do suspeito. Apesar de não ter ordem de prisão, ele foi preso em flagrante por porte irregular de arma de fogo e pornografia infantil.

Devido aos materiais apreendidos, a Justiça determinou a prisão preventiva do professor para que não atrapalhe a investigação. Ele está detido no presídio de Inhumas.

Segundo o delegado, o professor mora em frente a uma escola de futebol para meninos. Ele abordava as vítimas na porta de casa. “Ele ia para o alambrado, oferecia refrigerante, bolacha e convidada para ir à residência. Ele também oferecia presentes e dinheiro, de R$ 10 a R$ 50 para que crianças e adolescentes mantivessem relações sexuais”, disse Teófilo.

O delegado informou ainda que ele mantinha contato com as vítimas que conhecia por mensagens em rede social. Em uma delas, ele diz ao menino: “Quero dar agora à noite, tem como?”. O menino responde: “Hoje não, minha mãe está aqui”.

Após a prisão do suspeito, outros cinco meninos procuraram a delegacia para denunciar o professor. O delegado ainda não sabe se o suspeito chegou a aliciar os próprios alunos. “Vamos investigar se ele já teve alguma relação com alunos. Por enquanto sabemos das vítimas que faziam aulas de futebol”, declarou o delegado.

G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios