Preocupante! Segurança Pública anuncia nova paralisação de 48h

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

A paralisação das forças de Segurança Pública de 24 horas, entre quarta e quinta-feira, não motivou reação do governo estadual. Apesar do salto nos índices de violência, sobretudo em Goiânia, a Secretaria de Segurança Pública minimizou a greve e se negou abrir diálogo para ouvir as demandas da categoria. Diante do descaso, as polícias Civil, Militar, Corpo de Bombeiros e Agência Prisional decidiram que na próxima semana a paralisação, batizada de Produtividade Zero, terá o dobro de duração, ou seja, de 48 horas.

Durante o período em que a Segurança Pública cruzou os braços ocorreram 15 assassinatos na região metropolitana, número muito superior ao verificado em um período tão curto – aproximadamente 1/3 das mortes que ocorrem, em média, durante um mês inteiro. Outro dado alarmante foi o elevado número de roubo e furto de veículos (90 no total), o triplo da média diária.

Mesmo com números tão preocupantes e com a população apreensiva diante de tamanha violência, o governo tentou impedir a divulgação dos dados e, posteriormente, minimizar os números. Por outro lado, o secretário de Segurança Pública, Joaquim Mesquita, não esboçou nenhuma possibilidade de abrir diálogo para ouvir a pauta dos grevistas.

A mobilização das forças de Segurança Pública em Goiás ocorre devido ao adiamento do cumprimento da data-base pelo Executivo estadual. A categoria tinha direito, por lei, a uma parcela de reajuste em novembro. O governador Marconi Perillo (PSDB) enviou outro projeto de lei à Assembleia revogando o pagamento. Os dias da nova mobilização ainda não foram anunciados.

GoiasReal

Notícia postada em  

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e nosso Termos de Uso, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.