Prefeito traça mapa para implantação de rede de esgoto

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

Uma das áreas mapeadas é a região onde está sendo implantado o Hospital Municipal, que precisa de urgência da rede de esgoto

Com o objetivo de dar andamento mais ágil às obras de esgotamento sanitário em Aparecida de Goiânia, o prefeito Maguito Vilela e parte do secretariado se reuniu na tarde desta segunda-feira, 07, com o presidente da Odebrecht Ambiental em Goiás, Luiz Augusto Rossi e demais membros de empresa. A reunião foi realizada na sala de reuniões da prefeitura.

“Aparecida vem crescendo e se desenvolvendo a cada dia e é preciso o esforço de todos para que este crescimento não pare. O esgoto é importante para o funcionamento de diversas obras como, por exemplo, o Hopsital Municipal, por isso precisamos do inicio de instalação da rede de esgoto para atender este e demais empreendimentos do município. Destacando a necessidade de convergência para priorizar áreas com empreendimentos de relevância para a cidade”, ressaltou o prefeito.

Além da obra do Hospital Municipal, o secretário de Governo de Aparecida, Euler Morais citou ainda grandes empreendimentos como o Aeroporto Executivo, o campus avançado da UFG, obras habitacionais e o Polo Tecnologico. “A maioria dos empreendimentos ficam na região leste. Estes empreendimentos requerem infraestrutura para entrar em funcionamento e o esgoto faz parte da infraestrutura”, destacou o secretário.

No caso do Hospital, a Odebrechet informou que será implantada uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), compacta, no Bairro Cardoso. A ETE atenderá o Bairro Cardoso, o Hospital, que fica no setor Cidade Vera Cruz e parte do Garavelo. “Além dessa ETE, construiremos outras três compactadas para atender algumas regiões da cidade, por um período de dois anos, até a rede de esgotamento ficar totalmente pronta”, explicou o diretor de Operação e Manutenção da Odebrecht, Christian Fonseca.

Atualmente estão a Odebrecht Ambiental, empresa que conquistou a concessão para implantação do esgotamento sanitário em Aparecida está com cerca de 10 frentes de trabalho. Sendo algumas delas no Parque Hayalla, Bairro Independência, Independência Mansões e Jardim Florença. Há ainda trabalhos sendo iniciados no Parque Trindade 1 e 3. E a previsão de gastos no município para 2016 é de R$ 100 milhões.

O presidente da Agência de Saneamento de Aparecida, Leo Mendanha, pontuou ainda que a cidade conta apenas com 17% de rede de esgoto e que o contrato para universalização, por parte da empresa é até 2020. “Já temos prontas, falantando apenas colocar em funcionamento, as redes na região da Vila Maria, Jardim Olímpico, Jardim Helvécia e Serra Dourada. Há ainda a retomada da ETE Santo Antônio, que beneficiará mais bairros na cidade”, destacou o presidente.

Presenças – Participaram da reunião os secretários Mário Vilela (Infraestrutura), Ralph Vicente (Industria e Comércio), Carlos Eduardo (Fazenda), Julio Lemos (Habitação). E os representantes da Construtora PortoBelo, Agostinho Alcântara, Celso de Paula e Silva Filho, e Guilhermino Moraes; o engenheiro da Secretaria Municipal de Saúde, Aurélio Chaves Valente e a diretora, Vera Lousada; E o diretor de Planejamento do Consórcio Odebrecht/CCD, Edivan Marcos Tobias.

SecomAp

Notícia postada em  

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e nosso Termos de Uso, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.