Polícia prende cinco homens suspeitos de explosões de caixas eletrônicos

0
93

Operação ocorreu nos dias 16 e 20 de novembro, em Taguatinga, Samambaia e em São Luís do Maranhão

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) apresentou na manhã desta segunda-feira (23/11) mais cinco homens envolvidos em pelo menos 22 dos 33 casos de explosão de caixas eletrônicos no DF em 2015. Dois deles já tinham sido presos antes, mas foram liberados pela Justiça por falta de elementos consistentes. Essa é a 6ª fase da Operação Hostibus (inimigo em latim), coordenada pela Delegacia de Repressão a Furtos (DRF).

As prisões ocorreram em 16 e 20 de novembro nas cidades de Taguatinga, Samambaia e em São Luís (MA). Lá estava Julio Max de Jesus Moraes, 35 anos, o responsável por deflagrar a primeira fase da operação, em setembro. No entanto, logo que houve o flagrante, Max foi posto em liberdade e fugiu para o Maranhão, onde voltou a praticar o crime. Outro recapturado na nova ação da polícia foi Lucas Rocha Almeida, 25 anos.

Além dos dois, Thiago Vieira Sora, 20 anos, que estava cumprindo medida socioeducativa no Recanto das Emas e era responsável por trazer explosivos da Bahia e disseminar a prática no DF e Carlos Roberto Sousa Junior, 21 anos, também foram presos. Por fim, Israel Ulisses Vieira Alves, 22 anos, responsável por pelo menos cinco explosões no DF, se apresentou espontaneamente à polícia.

Os cinco acusados na última fase da operação têm passagem pela polícia por outros crimes. Entre eles, furto a interior de veículos e homicídio. Eles já foram denunciados e o processo segue na 2ª Vara de Samambaia. Ao todo, a operação Hostibus já prendeu, até agora, 24 acusados por envolvimento em furtos de caixas eletrônicos.

CorreioBraziliense