Polícia identifica suspeito de matar jovem dentro de boate, em Goiânia

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

A Polícia Civil já identificou um suspeito de matar o jovem Raycá Fernandes, de 23 anos, baleado dentro de uma boate no Setor Jardim Atlântico, em Goiânia. De acordo com o delegado Ernani Cazer, adjunto da Delegacia de Investigações de Homicídios (DIH), que acompanhou a perícia no local e ouviu testemunhas, o rapaz tem 20 anos e está foragido.

“Já sabemos quem atirou na vítima. Segundo as testemunhas, o crime foi motivado por uma desavença antiga entre os dois”, relatou Cazer ao G1.

O caso segue em investigação na DIH, mas ainda não foi divulgado o nome do delegado que ficará responsável pelas diligências.

O crime aconteceu na madrugada de domingo (12). Raycá estava em uma festa na casa noturna, quando o suspeito armado entrou e atirou contra ele, que morreu no local.

Um dos organizadores do evento, Dhesley Marçal também disse que amigos da vítima contaram que ele tinha uma desavença antiga com o atirador. Entretanto, ele não soube informar quais os motivos dessa briga entre os dois.

Ainda de acordo com o organizador, a festa era em comemoração ao aniversário de uma academia da capital. “Tinha toda segurança, nós contratamos uma empresa e eles revistavam todo mundo. Agora temos que ver se houve alguma falha na hora de revistar o pessoal, isso é a empresa contratada que tem que responder”, disse Marçal.

Em nota, a boate explicou que apenas locou o espaço para a academia Vita Fitness e que toda organização e segurança era de responsabilidade deles. A casa noturna esclareceu, ainda, que é proibida a entrada de pessoas armadas dentro do evento, fato que foi descumprido pelos promotores do evento.

Já a Vita Fitness disse que não era a única responsável pela organização da festa, pois tinha apenas uma participação. A academia destacou que alguns funcionários do estabelecimento participavam dessa organização.

Entre esses organizadores está Thalysson Silva, que disse à TV Anhanguera, por telefone, que todas as pessoas eram revistadas na entrada. Porém, o atirador conseguiu burlar o esquema de segurança. Ele considerou que o que aconteceu foi uma fatalidade.

O corpo de Raycá deve ser enterrado no Cemitério Jardim da Saudade, em Goiânia, na manhã desta segunda-feira (13).

G1

Notícia postada em  

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e nosso Termos de Uso, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.