Planalto faz ensaio para posse de Dilma

0
55

posseSob sol intenso, o cerimonial da Presidência da República fez ontem (28), na Esplanada dos Ministérios, o ensaio da cerimônia de posse da presidente Dilma Rousseff, marcada para quinta-feira (1º), em Brasília.

O motorista Valdeci da Silva Ribeiro, que dirigiu o Rolls Royce presidencial no ensaio, será o mesmo que conduzirá o veículo na solenidade oficial. “Tive a honra de fazer parte da história conduzindo a primeira mulher presidenta do Brasil [em 2010] e, agora, tenho a segunda oportunidade. Faremos um grande desfile de posse para o segundo mandato. Com certeza, estaremos todos prontos”, disse ele.

Além do carro oficial, participaram do ensaio a cavalaria da Guarda Presidencial, homens da Forças Armadas, das polícias Federal, Civil e Militar e agentes do Departamento de Trânsito do Distrito Federal. No próximo dia 1º, mais de 4 mil homens participarão do esquema de segurança da solenidade de posse.

São esperadas para a cerimônia de posse delegações de 60 países e 27 chefes de Estado de Governo, entre eles o vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, os presidentes do Uruguai, José Mujica, da Venezuela, Nicolás Maduro, e do Chile, Michelle Bachelet.

“Hoje vamos fazer o treinamento nos moldes do que vai acontecer no dia da posse. A previsão é que a presidenta saia às 14h30 do Palácio da Alvorada em comboio normal e se desloque até aqui, a Catedral de Brasília”, informou o coordenador do Escalão Avançado da Presidência da República, Flávio Lucena de Assunção. Segundo ele, na catedral, vai haver um transbordo para carros abertos.

De acordo com Assunção, dez minutos depois, a presidenta passa para o Rolls Royce, no qual também estará o vice-presidente Michel Temer. “Aqui, além da escolta dos motociclistas, haverá uma escolta hipomóvel [a cavalo] até o Congresso Nacional”, explicou Assunção.

Também haverá controle do tráfego aéreo, e soldados estarão nos ministérios para monitoramento da passagem da presidenta pela Esplanada em carro aberto. “Em função das distâncias a que se chegar da presidenta, o grau de controle é maior”, destacou Assunção. “Quando existe uma atividade como essa, em carro aberto, a preocupação da segurança é maior, mas são tomadas medidas para que se resguarde a figura da presidenta da República e das demais autoridades.”