Petroleiros iniciam vigília e cobram pagamento de participação nos lucros na Petrobras

petrobrasOs trabalhadores da Petrobras iniciaram ontem (12) vigília na sede da empresa, no centro do Rio de Janeiro, e prometem repetir o ato diariamente, até que seja paga a participação nos lucros e resultados (PLR), referente a 2014, a que a categoria tem direito, em cumprimento à Lei 10.101/2000.

O diretor-geral do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ), Emanuel Cancella, nformou à Agência Brasil que o valor relativo à PLR do ano passado deveria ser pago no primeiro mês do ano, como ocorre normalmente, “porque o trabalhador petroleiro já tem sua vida financeira e doméstica toda organizada, porque sabe que, em torno do dia 10 de janeiro, recebe a PLR”.

Este ano, Cancella disse que a categoria foi surpreendida pela informação da estatal de que não pagaria na data ajustada por causa do atraso do balanço do terceiro trimestre (de 2014). A divulgação do balanço foi adiada duas vezes pela empresa, devido a fatos vinculados à Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que investiga denúncias de corrupção na estatal. A divulgação deve ocorrer até o próximo dia 31, conforme anunciou a companhia no final de dezembro, mesmo sem auditoria da PricewaterhouseCoopers (PwC).

Os petroleiros discordam do adiamento da data de pagamento da PLR e alegam que, durante toda a investigação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI), instalada para apurar irregularidades envolvendo a empresa, de 2005 e 2014, todos os indicadores da empresa melhoraram. “A Petrobras aumentou a capacidade de refino, fez novas descobertas e, na semana passada, alcançou o primeiro posto de empresa produtora de petróleo no mundo, passando a Exxon Mobil, e é a quarta do mundo em produção de petróleo e gás. Então, isso é fruto do trabalho de uma categoria”, disse Cancella.

Por isso, ele exige o pagamento da PLR. Os petroleiros reivindicam também o pagamento de aposentados e pensionistas, já definido pela estatal, mas a empresa não diz, no entanto, quando vai pagar. “Nós estamos exigindo que seja pago logo, nós queremos uma política eficaz de combate à corrupção”, acrescentou.

Os petroleiros querem ainda o fim dos leilões para exploração de petróleo e gás no país. De acordo com Cancella, a direção da Petrobras, tentando conter a insatisfação dos empregados, já comunicou a decisão de antecipar o pagamento da parcela do décimo terceiro salário. “Isso alivia um pouco, mas não resolve o problema. Vamos continuar em vigília até que ela [presidenta da Petrobras, Graça Foster] cumpra os compromissos que assumiu com a categoria. Vamos ficar mobilizando a base”, destacou.

O diretor do Sindipetro-RJ e secretário de Comunicação da Central Única dos Trabalhadores do Rio de Janeiro (CUT), Edison Munhoz, reclamou que o trabalhador, não só o da Petrobras, acaba pagando a conta de qualquer desvio, de qualquer coisa fora da ética. “Mais uma vez eles [dirigentes da Petrobras] tentam empurrar isso para cima do petroleiro”, afirmou Munhoz. Ele disse que não há desculpa para atrasar o pagamento da PLR, porque a Petrobras, apesar dos problemas provocados pelas denúncias de corrupção, aumentou o lucro e cresceu. “Não tem por que continuar retendo valores quando se sabe que o balanço, mesmo com  a dificuldade de fazê-lo no momento, por questões ligadas à corrupção, terá um valor maior [que o anterior]”.

Munhoz ressaltou que a estatal deveria garantir o valor pago em 2014, relativo à PLR do ano anterior, e quitar a diferença mais à frente, quando tiver o balanço em mãos. Por lei, a PLR equivale ao pagamento de até 25% do lucro aos trabalhadores. Segundo ele, a Petrobras está pagando em torno de 15% a 16% do lucro para dividir pelos trabalhadores, “o que pode dar um salário-base para o menorzinho, que está lá em baixo, e pode dar um valor que a gente desconhece para aqueles que têm cargo de direção”.

A assessoria de imprensa da Petrobras comunicou que está sendo preparada uma nota sobre a reivindicação dos petroleiros referente à PLR, mas não precisou quando ocorreria a divulgação. Amanhã (13) o Conselho de Administração da empresa vai se reunir a portas fechadas. A expectativa é que a pauta inclua a aprovação do balanço contábil relativo ao terceiro trimestre do ano passado.

ABr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios