Pequizeiro não poderá mais ser cortado sem autorização em MS

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

Nova lei prevê multa para quem cortar pequizeiros, sem autorização ambiental, em Mato Grosso do Sul. O objetivo consiste em preservar a espécie típica do Cerrado e favorecer cadeia produtiva de pequenos produtores extrativistas. Para ser aplicada na prática, no entanto, ainda falta sanção do governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

Dentre as regras, que isentam o plantio com finalidade econômica, estão a necessidade de se justificar o corte por execução de obra ou projeto de utilidade pública e interesse social. Há ainda necessidade de autorização do órgão ambiental e plantio de cinco a 10 mudas da espécie para cada exemplar cortado. No caso de descumprimento a multa chega a R$ 5,7 mil.

O deputado estadual Pedro Kemp (PT), autor da proposta, pontuou que o pequi possui histórico de uso por populações tradicionais como alimento por seu alto poder nutritivo, remédio caseiro, sabão artesanal, corante para tecidos, isca para peixes e alimentação do gado. A árvore, que produz um dos frutos atrativos do Cerrado, também estaria ameaçada de extinção.

Da família das cariocariáceais, o pequi tem seu nome popular derivado do tupy piki’a que significa casca espinhenta. A árvore possui copa que pode chegar a 3,5 metros de diâmetro, além de produzir média de quinhentos a três mil frutos por safra.

A legislação que garante sua proteção foi inspirada em projetos semelhantes existentes nos estados de Minas Gerais, Goiás e Distrito Federal.

Correio do Estado

Notícia postada em  

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e nosso Termos de Uso, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.