Parque Tamanduá tem 40% das obras concluídas

0
279

Equipe da administração vistoriou hoje as obra iniciadas em junho deste ano, além do Parque da Criança, previsto para ser entregue no dia 12 de outubro.

tamanduaUma comitiva de membros dos poderes Executivo e Legislativo, acompanhados pelo prefeito Maguito Vilela, vistoriou nesta terça-feira, 26, as obras de recuperação do Parque Tamanduá, no setor Garavelo; a construção do Parque da Criança, no setor Mansões Paraíso; e as obras de infraestrutura do Parque Tecnológico de Aparecida, que será implantado bem próximo ao Polo Empresarial Goiás.

A vistoria foi coordenada pelo superintendente de Defesa Civil, Juliano Cardoso, e secretários Mário Vilela (Infraestrutura), Fábio Camargo (Meio Ambiente) e Euler de Morais (Governo e Integração Institucional). Participaram os secretários Carlos Eduardo de Paula Rodrigues (Fazenda), Ozéias Laurentino Júnior (Comunicação), Afonso Boaventura (Administração), Léo Mendanha (ASA), Wilmar Mariano (Esporte e Lazer), Rodrigo Caldas (Desenvolvimento Urbano). Além dos vereadores Arnaldo Leite (PMDB), Cybele Tristão (PSDB); Gleison Flávio (PT do B), Marcone Marinho e Élio Bonsucesso (ambos PTB), Idelvar da Real (PRTB), Valdemar Suldamérica (PDT), Almeidinha (PSD), Leiliane Rosa (DEM), e o presidente da Câmara, vereador Gustavo Mendanha (PMDB).

O grupo iniciou a vistoria pelas obras de recuperação do Parque Tamanduá, iniciadas em junho deste ano. Toda a estrutura do parque está sendo refeita. “Estamos, inicialmente, tirando as famílias que vivem aqui dessa situação de risco. Em seguida, vamos transformar as imediações do córrego em uma área de lazer, em área reflorestada. E vamos concluir isso no menor tempo possível”, garantiu o prefeito Maguito Vilela.

De acordo com o secretário de Infraestrutura, Mário Vilela, 40% das obras já foram concluídas. “Três mil metros de galerias pluviais já estão prontos e metade da erosão já foi aterrada. Ou seja, 10 mil caminhões de terra já foram seguramente colocados aqui e compactados”, explicou o secretário. Ele explica ainda que a obra de recuperação das erosões está sendo realizada em duas fases.

A primeira fase é a recuperação e reconstrução das galerias, que estavam bem danificadas, e a colocação de gabiões, uma estrutura armada com pedra, flexível, para melhor drenagem da água e capaz de conter a erosão. “Nosso grande cuidado é que se as chuvas se anteciparem esse serviço não seja perdido. Então, a primeira providência é a recuperação das galerias e colocação dos gabiões, o que está sendo feito. Na etapa posterior vamos completar as obras com mais gabiões e a pavimentação”, completou.

Histórico de erosões vem desde a década de 80

Segundo o superintendente da Defesa Civil do município, Juliano Cardoso, o problema ocorrido na região do Parque Tamanduá teve início na década de 80. “A erosão partiu de um problema crônico da cidade, que são as ocupações desordenadas, sem planejamento. Aparecida cresceu dessa forma e esta é uma região que não poderia ter sido ocupada. Temos aqui um solo que geologicamente não é aconselhável para isso”, esclareceu o superintendente.

De acordo com ele, o estudo para recuperação da área foi iniciado em 2009, período em que a área passou a ser constantemente monitorada pela Defesa Civil e Meio Ambiente, “Esses estudos, complementados pelo trabalho da Seinfra, culminam agora na solução do problema de drenagem. Depois das obras de engenharia, iniciaremos o espelho d’água que será o maior da região metropolitana e servirá como sistema de amortização para os volumes excessivos de água. Com isso não teremos enchentes na região, disciplinaremos essa força da água no manancial e não teremos mais o retorno das erosões”, enumerou.

Ainda segundo o superintendente da Defesa Civil, a erosão do Parque Tamanduá já foi recuperada pelo menos cinco vezes, ao longo de mais de trinta anos, mas voltou a erodir em função da falta de dimensionamento da água que escoaria pela região. “Os gestores da época não levaram em conta o desenvolvimento e o crescimento da cidade, o aumento do índice de chuvas, de impermebialização do solo por pavimentação alfáltica e construções, e as galerias eram subdimensionadas. Além disso, as recuperações eram feitas sem um estudo e utilizando-se de entulhos para a cobertura da erosão”, destacou.

 O projeto de recuperação da erosão em torno do Parque Tamanduá tem investimento total de R$ 19 milhões, autorizado pelo Governo Federal depois que o município decretou situação de Emergência, no dia 02 de abril de 2013, em função do risco de desmoronamento de ruas e casas localizadas ao longo da Bacia do Rio Tamanduá. Parte do montante é contrapartida do Tesouro Municipal. Técnicos da Defesa civil e da Secretaria de Meio Ambiente também acompanham e monitoram  as obras.

Parque da Criança integrará lazer, esportes e serviço de fiscalização

Após a vistoria da obra do Parque Tamanduá, a comitiva de gestores percorreu também o Parque da Criança, em construção no Mansões Paraíso. O parque é uma parceria com a AMB construtora e incorporadora, firmada a partir da assinatura de um Termo de Acordo e Compensação Financeira (TACF). O TACF foi viabilizado pela Lei n. 3.167, de março deste ano, e prevê a desafetação das ruas J-76 e H-107 e remanejamento de área em favor da incorporadora, que construirá edifícios residenciais na região. Como contrapartida à desafetação, elas se comprometeram a revitalizar o Parque do Mansões Paraíso, cujo projeto se aproxima de R$ 1 milhão em investimentos.

O parque tem área total de 126 mil m². Nesse espaço, estão sendo construídos um prédio de 100 metros quadrados que abrigará a Delegacia de Meio Ambiente, um espelho d’água, uma praça com teatro de arena, e pista de caminhada de 8 mil metros quadrados e quadra poliesportiva. Além disso, o projeto também prevê a recuperação de todos os equipamentos de lazer já existentes no local, instalação de bancos, recuperação da pista de skate e bicicross. Mais de 60% das obras já estão concluídas.

A previsão de entrega do parque é em 12 de outubro, Dia da Criança. “Todo o parque corresponde ao tamanho do Parque Mutirama, em Goiânia. Ou seja, é um projeto muito ousado e completo, que proporcionará conforto, lazer, qualidade de vida à população”, afirmou o secretário Euler de Morais. Vizinho ao parque, está sendo construída ainda uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e um Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) será construído na mesma região.

PARQUE URBANO – Além do Parque da Criança, outro parque da cidade também está recebendo intervenções da Secretaria Municipal de Meio Ambiente. A área localizada na Avenida Independência, no Residencial Village Garavelo, se caracteriza hoje como uma grande ilha de divisão dos dois sentidos da pista. Em 2010 recebeu pista de caminhada, parque, quadra de areia e academia aberta. Mas o projeto da administração é transformar o local em parque realmente, já que o espaço possui 13 mil metros quadrados.

A implantação do parque também será feita em etapas. A primeira, iniciada nesta terça-feira, 26, será entregue no dia 12 de outubro, e compreende a reprogramação de metade da área total do espaço. A entrega final está prevista para o ano que vem. O projeto prevê o plantio de centenas de árvores, formando uma espécie de bosque urbano; a instalação de mais uma academia aberta no outro extremo do parque; a instalação de quiosques com cobertura para descanso, bancos e pergolados.

Além da ampliação do playground, com instalação de mais brinquedos; substituição da pista de Cooper, hoje em cimento comum, por cimento lavado; alargamento dessa pista, que passará a ter 2,2 metros quadrados, em dois sentidos; substituição da quadra de areia por quadra poliesortiva; substituição da iluminação por lâmpadas de led, entre outras intervenções.

“O projeto é grandioso e a entrega final está prevista para o ano que vem. Queremos criar mais opções de lazer à população e ampliar também as áreas verdes da cidade, que tem muito potencial, muitas áreas propícias e uma população receptiva à este tipo de projetos”, frisou o secretário de Meio Ambiente, destacando que a população utiliza bastante os instrumentos instalados nestes espaços, como as pistas de caminhada e academias abertas.

Parque Tecnológico – A vistoria da equipe administrativa de Aparecida foi encerrada no Parque Tecnológico de Aparecida, que será implantado a poucos metros do Polo Empresarial Goiás. Atualmente o espaço está recebendo a pavimentação para, posteriormente, receber as primeiras empresas. “A área do Parque Tecnológico também era uma área problemática e que está se transformando em solução para a cidade. Estamos prevenindo os problema de drenagem da região e trazendo mais desenvolvimento para a cidade”, resumiu o prefeito.

SecomAp