Parque Nacional abriga mais da metade das aves da Bahia

0
49

parqeuO Parque Nacional de Boa Nova (BA) é uma das Unidades de Conservação (UCs) mais ricas em aves no Brasil e abriga mais da metade das espécies da Bahia. Atualmente, existem cerca de 438 espécies catalogas na região. “Esse número cresce a cada dia. Na verdade, acreditamos que existam muito mais, mas ainda estamos em estudos”, disse Johan Silva Pereira, chefe da unidade.

Devido à rica biodiversidade, o Parque é considerado um dos principais destinos do turismo para observadores de aves do País, que visitam o local diariamente para analisar o comportamento dos animais em ambiente natural. “Nos surpreendemos todos os dias com novas descobertas de aves, inclusive algumas edêmicas ou que estão ameaçadas de extinção”, explicou Pereira.

Sobre o Parque

Criado em 2010 junto com um Refúgio de Vida Silvestre (Revis), a UC tem, ao todo, 27 mil hectares e protege uma importante área na transição entre os biomas Caatinga e Mata Atlântica.

Em apenas 15 quilômetros de caminhada, os visitantes passam da caatinga mais seca à floresta mais úmida e ainda conhecem a mata de cipó. No trajeto, existem várias nascentes que desaguam em meio a altas montanhas e formam cachoeiras deslumbrantes.

A floresta de altitude entre estes dois importantes biomas é chamada localmente mata de cipó e nela vive uma ave rara e endêmica: o gravatazeiro (Rhopornis ardesiacus). O Parna é considerado um importante destino turístico para observação de aves, também conhecido como Birdwatcher.

Patrimônio arquitetônico

Além das belezas naturais, formadas por atrações como a cachoeira Sete de Setembro, que tem 70m de altura, Caldeirões do Rio do Chumbo, Lagedo dos beija-flores, Serra do Timorante, Mirante do Rio do Chumbo e Morro do Inglês, a região de Bova Nova tem um importante patrimônio arquitetônico e mantém uma intensa atividade cultural popular.

Para quem não conhece a região, existem guias locais profissionais para acompanhar e informar os visitantes sobre as principais atrações. “Essas pessoas são preparadas, inclusive, para tirar dúvidas sobre algumas espécies”, afirma o chefe do Parque Nacional de Boa Nova.

Portalbrasil