Aparecida de Goiânia, sexta-feira, 17 de setembro de 2021
Ciência

Pandemia aproxima população da ciência

Redação
4 de agosto de 2021

A pandemia de covid-19 impôs um cenário de dificuldades para os pesquisadores no mundo inteiro. Diante do novo cenário mundial, que desafiou a comunidade científica internacional, criou avanços nas pesquisas. Ao mesmo tempo, esses desafios criaram uma nova visão da ciência aos olhos da sociedade que teve acesso à realidade da produção científica. 

“Receber o desafio de uma pandemia nunca é fácil, porque está expondo vidas, e quando expõe vidas em risco é sempre uma questão muito forte para a gente”, contou ao Jornal da USP no Ar 1ª Edição o imunologista Gustavo Cabral de Miranda, desenvolvedor de vacinas, pesquisador do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP e Pós-Doutor pela Universidade de Oxford. Segundo ele, a pandemia demonstrou a necessidade de vigilância constante a eventuais situações que apresentem risco para a sociedade, assim como criou uma aproximação entre o mundo científico e social. 

Entre os desafios impostos pela pandemia a pesquisadores, Miranda destaca a necessidade de direcionar esforços de forma quase exclusiva para o combate à covid-19 como exemplo. “Não tinha outra opção, tem que conectar, tem que desenvolver formas de adaptar sem perder o que nós já tínhamos feito e seguir em frente, porque a pandemia está aí”, coloca o pesquisador. Devido à necessidade de uma resposta rápida dos setores científicos para evitar uma maior perda de vidas, a comunidade científica teve de redirecionar seus esforços para a criação e compartilhamento para combater a covid-19.

20201001 00 mapa pandemia covid coronavirus

O Brasil possui hoje uma capacidade de produção científica muito grande, mas essa instabilidade impede a criação e o desenvolvimento de novos conhecimentos – Foto: Divulgação/Johns Hopkins University

Entre os desafios, a instabilidade de investimentos na produção científica é um dos principais. “A ciência, no geral, não dá resposta imediata, mas, quando responde, o resultado é contínuo”, diz Miranda. De acordo com ele, devido à utilidade do produto das pesquisas científicas não ser imediato, a área tende a sofrer com cortes de verba que atrapalham no desenvolvimento das pesquisas. O Brasil possui hoje uma capacidade de produção científica muito grande, mas essa instabilidade impede a criação e o desenvolvimento de novos conhecimentos. 

Para o especialista, o principal desafio para o futuro da produção científica é manter a sociedade com os olhos abertos para a ciência. A pandemia aproximou a esfera acadêmica e social de forma nunca antes vista, o que ajudou na campanha de vacinação, por exemplo, mas é necessário que se mantenha essa proximidade. Por isso é importante manter o contato com a sociedade para que essa credibilidade não seja perdida e impeça que, no futuro, outros avanços possam ser alcançados. “Não adianta a gente imaginar a ciência sem a conexão com a sociedade”, conclui o pesquisador.


Fonte: Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 10h45, 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 

DENÚNCIA DE IRREGULARIDADES?

envie um email para

[email protected]

2005 - 2021
magnifiercross linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram