Cadê o dinheiro do Goiás?

0
310

O Goiás estreou ontem pela copa do Brasil com uma derrota se não vexatória, pelo menos vergonhosa. Não cabe a mim entrar nos méritos da equipe do River e confesso que pouco escutei do jogo, mas o pouco que escutei tirei algumas conclusões: O time do Goiás precisa melhorar, MUITO. O campeonato Goiano vem nos iludindo, as fracas esquipes goianas perdendo sempre de 1×0 para o Goiás vem nos criando a esperança que o time está evoluindo, mas basta pegar uma equipe que “não respeita” o Goiás que o resultado é diferente, é derrota. Enderson precisa montar melhor a equipe, está na hora de sacar Cléo que nada vem fazendo e ganhar o meio campo com Jhon Cley, Thales e Daniel (que está voltando de lesão) entre as opções. Continuo achando que Wagner não é suficientemente bom para ser titular.

Mas o assunto de hoje não vai ser a formação tática do time e tampouco vou avaliar o jogo de ontem. Hoje quero saber onde está o dinheiro do Goiás. Por que essa “síndrome de Julius”? Sofremos por anos com o argumento que o Goiás estava devendo, que precisava quitar dívidas e agora que estamos com dinheiro em caixa de venda de jogadores, patrocínio e cotas da TV, formamos um time do mesmo “escalão” do ano passado? Pois afirmo com toda certeza, a folha salarial desse ano não se difere muito da folha de 2015. Tira o escorpião do bolso Goiás! Precisamos de jogadores que sejam realidade, que decidam jogos, não podemos jogar essa responsabilidade em cima de um jogador de 19 anos de idade, caso de Carlos. Não temos ninguém no elenco hoje capaz de decidir um jogo em uma jogada, talvez o mais próximo disso seja Daniel Carvalho que até agora passou metade do campeonato no DM.

Vamos então analisar nossos dois maiores adversários na série B, Bahia e Vasco. Bahia especulou vários jogadores, um deles Dátolo do CAM, parece não ter dado certo mas tem Hernane Brocador, em minha visão um dos melhores centroavantes do país, vai dar trabalho, investiu e vai colher os frutos na série B. O Vasco apesar de não ter mudado muito de 2015 para 2016 tem uma peça essencial, Nenê. Joga um campeonato muito mais difícil que o fraco Goianão e tem um jogador decisivo, está a nossa frente. Pra mim o Goiás disputa duas vagas, pois Bahia e Vasco são donos das outras duas.

Voltando ao passado, vamos falar de 2012, nossa última série B. Tinhamos um time realidade. Tinhamos 3 peças no time que resolviam jogos: Goulart, Egídio e principalmente Walter. No elenco de hoje, temos algum jogador com essa capacidade técnica? Não temos. Vamos ter? Acredito que não. Cabe a nós refletirmos, será que o Goiás não deu o dinheiro para Ximenes trabalhar ou Ximenes não está conseguindo encontrar as peças que o Goiás precisa? Será que vamos ser vítimas do mesmo papo de sempre!? Que o Goiás não tem dinheiro para disputar contratações com grandes clubes!? Será que novamente o dinheiro da venda de jogadores vai sumir como aconteceu com Welinton em 2007!? Será que o Goiás nunca muda!? São dúvidas que só vão ser respondidas de acordo com os resultados do time ao longo do campeonato. Fato é, precisamos de jogadores e dessa vez, jogadores para chegar, pegar a camisa, entrar em campo e resolver, como Walter em 2012. Caso contrário, esqueçam título de série B e comecem a ficar receosos para um possível acesso.

Esmeraldino.com