Órgãos de trânsito alertam para cuidados ao dirigir em dias de chuva

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

Com chuva, a visão do motorista fica comprometida, e o tempo de frenagem é reduzido. Saiba o que fazer para evitar acidentes e como proceder ao prestar socorro

Ao dirigir durante tempestades, o motorista fica com a visibilidade comprometida em comparação aos dias sem chuva. Além da água sobre a visão do condutor, os vidros podem embaçar, e as vias ficam escorregadias. Os órgãos de trânsito alertam que a cautela na direção deve ser redobrada nesses períodos.

O diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF), Henrique Luduvice, destaca a importância de ficar a pelo menos 50 metros do carro da frente. “O motorista precisa manter distância segura para uma frenagem, caso o carro da frente freie ou fure um pneu, por exemplo.”

Outro cuidado é com poças d’água ao mudar de faixa. Com a velocidade, a água é jogada no para-brisa do veículo que está logo atrás, ou ao lado, o que pode atrapalhar a visão do condutor.

Riscos com aquaplanagem

Uma das principais preocupações com a pista molhada é o risco de aquaplanagem do veículo, quando há perda de controle por falta de aderência dos pneus. Por isso, é fundamental dirigir em velocidade mais baixa, ressalta o diretor-geral do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF), Jayme Amorim de Sousa. Da mesma forma, o cuidado deve ser intensificado em vias sem pavimentação, pois a lama pode contribuir para deslizamentos.

Nesses casos, é importante que os pneus estejam em boas condições, com a calibragem indicada para o tipo de veículo (a informação está nos manuais dos fabricantes) e com aderência.

A orientação, se a chuva estiver muito forte, segundo o sargento do Corpo de Bombeiros Militar do DF Jorberth Borges Medeiros, é parar o carro em um lugar seguro, como em um posto de gasolina. “Há casos em que a visibilidade fica limitada a 10 ou 15 metros.”

Na busca pelo melhor lugar, deve-se evitar o acostamento. “Ocorre de, às vezes, um motorista parar no acostamento e ser atingido por um veículo desgovernado”, diz o sargento, que lembra a necessidade de deixar o farolete e o pisca-pisca ligados quando o carro estiver estacionado.

Manutenção do veículo

A manutenção do veículo é outro ponto a ser observado. De acordo com o capitão do Corpo de Bombeiros Ronaldo Reis, em dias chuvosos é preciso checar com mais frequência itens como pneus, limpadores de para-brisa, luzes (farol, pisca-pisca, luz de ré) e sistema de freio.

Em áreas de alagamento, segundo os militares, só é seguro passar se a água não estiver cobrindo mais da metade da roda ou todo o meio-fio. Caso contrário, a orientação é retornar.

Na hora de prestar socorro

Ao presenciar algum acidente na estrada, o primeiro procedimento é sinalizar a área. Depois, deve-se checar se há vítimas e qual é o estado de saúde delas.

O passo seguinte, caso haja necessidade, é chamar o Corpo de Bombeiros, por meio do telefone 193. “Esse pouco tempo serve para a pessoa se acalmar e passar informações mais precisas”, explica o sargento Jorberth. Ele conta que é comum acionarem o socorro mesmo quando não há vítimas com gravidade, o que pode prejudicar o atendimento a situações mais graves. “É importante que o solicitante deixe contato e aguarde até a chegada da equipe”, acrescenta.

Denuncias e Informações? Chat via WhatsApp