Oceanos terão mais resíduos de plástico do que peixes até 2050, diz Fórum Econômico Mundial

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

Atualmente, oito milhões de toneladas de plástico contaminam os mares todos os anos — equivalente a um caminhão de lixo jogando plástico no mar por minuto

Um estudo realizado pela Fundação Ellen McArthur e publicado pelo Fórum Econômico Mundial nesta terça-feira (20/01) estimou que os oceanos terão mais resíduos de plásticos do que peixes em suas águas até o ano de 2050.

A pesquisa apontou que 32% de todo o lixo plástico do mundo escapa dos sistemas de coleta e acaba na natureza, o que inclui sobretudo oceanos. Atualmente, oito milhões de toneladas de plástico contaminam os mares todos os anos — o equivalente a um caminhão de lixo jogando plástico nas águas a cada minuto.

De acordo com a análise, nesse ritmo, serão dois caminhões de lixo por minuto em 2030. Duas décadas depois, serão então quatro caminhões por minuto até 2050, momento em que a quantidade de lixo plástico irá ultrapassar a quantidade de peixes no oceano.

No estudo, os cientistas entrevistaram mais de 180 especialistas no assunto e concluíram que a maior parte das embalagens plásticas são utilizadas apenas uma vez antes de serem descartadas, sendo, portanto, a principal causa de contaminação na natureza.

A fim de evitar que essa situação se concretize, o documento propõe uma nova maneira de pensar o plástico, para não apenas reaproveitá-lo por meio da reciclagem, mas também evitar contaminações quando ele for descartado. De acordo com dados coletados pelos pesquisadores, 53% das embalagens plásticas em toda a Europa, por exemplo, poderiam ser recicladas.

“Não existe um sistema que ajude a reaproveitar esses materiais plásticos. Isso impacta todo o ecossistema dos oceanos. Se você vive em um país que se sustenta principalmente daquilo que o oceano oferece, então, os peixes dos quais você depende para se alimentar estão ingerindo plástico e morrendo por estarem com os estômagos cheios dele”, explicou em entrevista ao Al Jazeera a presidente da Coalizão Poluição do Plástico, Dianna Cohen.

Para Dianna Cohen, é necessário que os governos tomem medidas para prevenir desperdícios de plástico futuros, forçando os produtores a recolherem as embalagens que vendem após seu uso, mas também que cidadão faça sua parte.

“Todos nós temos a capacidade de fazer alguma coisa para reduzir a quantidade de plástico que usamos no dia a dia”, concluiu a presidente.

Operamundi

Notícia postada em  

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e nosso Termos de Uso, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.