Na Espanha, 62% dos espanhóis são favoráveis à realização de referendo sobre futuro da monarquia

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

madridA maioria dos espanhóis, 62%, defende a realização de um referendo que decida o futuro da monarquia no país. De acordo com a pesquisa realizada pelo instituto Metroscopia, apenas 34% da população é contrária à consulta. O sentimento republicano é maior entre jovens e eleitores de partidos de esquerda. Apesar disso, maior parte dos cidadãos espanhóis segue favorável à continuidade do regime monárquico.

Na quarta-feira (11/05), o Congresso irá referendar a abdicação do rei com ampla maioria. A proposta que defende a realização de um referendo no país deve ser respaldada por menos de 10% dos deputados. A Esquerda Plural, a coalizão parlamentar liderada pela Esquerda Unida e que agrupa diversos partidos de esquerda, ambientalistas, federalistas e nacionalistas será vencida pela maioria controlada pelo Partido Popular e pelos socialistas do PSOE.

A opinião do Parlamento, no entanto, não tem respaldo automático na sociedade, cuja posição tem diversas nuances. Partidários do PSOE não concordam com a posição do partido. Para 68% dos eleitores socialistas, o plebiscito deve ser feito em algum momento. De forma geral, a defesa da consulta sobre a forma de Estado é mais forte entre os jovens e os que votam abertamente em partidos de esquerda.

O apoio à realização do referendo não significa, no entanto, uma rejeição à monarquia. Quase metade dos pesquisados disseram que, em um referendo, defenderia o regime liderado por Felipe VI e somente 36% disseram optar pela pepública, sistema favorito dos jovens e dos partidários da esquerda.

A abdicação do rei foi aprovada pelos espanhóis, como indica a pesquisa. Para 83%, a decisão do monarca foi adequada, 67% acreditam que o momento foi correto e 66% entendem que isso pode abrir caminho para “pessoas jovens e com ideias novas”. Uma grande maioria considera também que o fato abre uma oportunidade para melhorar os problemas do país.

Credibilidade da coroa

O atual príncipe, e provável futuro Rei Felipe VI, é mais popular entre os espanhóis do que seu pai. Desde 2006, as pesquisas oficiais indicam um desgaste crescente da imagem de Juan Carlos, provocado por sequências de escândalos durante os últimos três anos. As denúncias diminuíram drasticamente a popularidade da coroa. A crise econômica enfrentada pelo país também contribuiu para a queda da credibilidade da população nas instituições do país.

Poucas horas após o anúncio da abdicação, realizada na segunda-feira (02/06), o questionamento sobre a mudança na estrutura política tomou conta do país. Centenas de pessoas em mais de 60 cidades saíram às ruas pedindo a realização do referendo. Ontem, milhares de pessoas saíram às ruas, em diversas cidades espanholas, exigindo o voto popular.

Operamundi

Notícia postada em  

  • 9 de junho de 2014
  • Da Redação