Menor diz ter matado as 4 garotas vítimas de chacina: ‘me caguetaram’

0
68

Elas foram mortas com tiros na cabeça, no dia 8 de março, em Goiânia.

presoA Polícia Civil apresentou nesta quarta-feira (17) o adolescente de 17 anos suspeito de participar da chacina do Morro do Mendanha, em Goiânia. Foragido desde o dia do crime, o menor confessou ter executado as quatro jovens, no dia 8 de março deste ano. “Matei as quatro, tiro na cabeça, me caguetaram”, disse em entrevista coletiva.

As garotas foram executadas juntas, uma ao lado da outra, cada uma com um tiro na cabeça. Segundo a polícia, todas as balas saíram de um revólver calibre 38 e quatro jovens cometeram o crime. Duas das vítimas eram adolescentes, de 15 e 16 anos. As outras duas tinham 19 anos.

O adolescente foi apreendido no último dia 10, próximo à casa que morava, em Gama (DF). De acordo com o titular da Delegacia de Apuração de Atos Infracionais (Depai) de Goiânia, Kleyton Manoel Dias, a polícia tinha informações que os dois suspeitos que estavam foragidos fugiram para a região. A apreensão do garoto de 17 anos ocorreu após o outro menor, identificado apenas como Alisson, ter sido executado no município, no início do mês.

Dos quatro suspeitos de participar do crime, apenas o adolescente apresentado nesta manhã confessou o assassinato. No entanto, para o delegado, não há dúvida da participação de todos. “Os quatro tiveram participação direta, foram coautores do delito. Ele é o único que disse ter atirado, mas duvido muito”, disse o delegado ao G1.

O menor já tinha quatro passagens anteriores pelos crimes de roubo, assalto à mão armada, desobediência e “saidinha de banco”.  Segundo a polícia, ele também foi vítima de uma tentativa de homicídio em 2012. O adolescente será encaminhado ainda nesta quarta-feira a um centro de internação.

Os outros dois suspeitos de cometer a chacina, um jovem de 19 anos e um menor de 17, foram detidos logo após o crime. Eles continuam presos. De acordo com a polícia, os três envolvidos na chacina integram uma quadrilha que cometia diversos crimes, principalmente o tráfico de drogas, em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia.

Conforme Kleyton, como os demais envolvidos no crime, o adolescente responderá por homicídio triplamente qualificado. Ele pode pegar, no máximo, três anos de internação.

Motivação
Segundo a polícia, a informação sobre a motivação do crime foi confirmada pelos suspeitos capturados. Segundo eles, dias antes da chacina, durante uma abordagem por policiais militares, os agentes os ameaçaram, dizendo que a corporação estava recebendo informações sobre atividades ilícitas cometidas pela quadrilha.

Em seguida, um dos jovens, o adolescente de 17 anos que já estava detido, encontrou uma mensagem no celular da namorada, uma das vítimas da chacina, que dizia “me liga”. A jovem teria respondido: “Estou em um lugar inadequado, com pessoas inadequadas”. Suspeitando da garota, ele anotou o número do telefone de quem enviou a mensagem e depois ligou. Durante a chamada, o menor recebeu a informação de que o telefone era de um policial militar.

Boate
O adolescente então teria relacionado a ameaça sofrida durante a abordagem policial à mensagem encontrada no celular e acreditou que a namorada era autora das denúncias. Das vítimas, duas eram namoradas de integrantes da quadrilha. As outras duas eram usuárias de drogas, segundo a polícia, e também amigas dos suspeitos, mas não tinham relação amorosa com eles.

As jovens foram levadas em um carro até o Morro do Mendanha após encontrarem com os rapazes em uma boate com a promessa de que seriam levadas para casa. A polícia acredita que elas foram executadas cerca de 30 minutos depois de deixar a festa.

Duas delas, as adolescentes de 15 e 16 anos, foram enterradas no Cemitério de Trindade, na Região Metropolitana. O corpo de uma das jovens de 19 anos foi sepultado em Araguaína (TO), onde ela nasceu. A outra vítima de 19 anos foi enterrada em Itapuranga, a 166 km de Goiânia.