Mãe e filha se entregam e dizem que viram mulher ser brutalmente morta

Vídeo flagrou três suspeitos transportando corpo da vítima em uma bicicleta.

cachoeiraUma mulher de 35 anos e a filha dela, de 19, suspeitas de envolvimento na morte de Nelci Carla dos Reis Costa, 34 anos, em Cachoeira Dourada, no sul de Goiás, se entregaram à Polícia Civil na madrugada desta quarta-feira (11). De acordo com o delegado Lucas Finholdt, elas negam ter participado do assassinato, mas confirmaram que viram a vítima ser brutalmente espancada e morta com uma facada.

O crime aconteceu na madrugada do último dia 30. De acordo com a polícia, várias pessoas, inclusive Nelci, bebiam em um bar da cidade, quando foram para uma casa. No local, após uma discussão, a vítima começou a ser agredida e acabou morta. Após o assassinato, câmeras de segurança de um comércio flagraram três suspeitos transportando o corpo enrolado em um cobertor.

Além da mãe e da filha, quatro suspeitos já haviam sido presos e um menor, apreendido. O delegado ressaltou que as suspeitas eram procuradas em três municípios da região, mas decidiram se apresentaram em uma delegacia de Itumbiara.

“Inicialmente, a mãe e a filha negam ter participado ativamente do crime, mas confirmam que assistiram a tudo. Ainda vou colher o depoimento formal das duas, mas elas já narraram alguns detalhes que mostram a crueldade do caso, como o fato de que Nelci foi espancada durante cerca de 1 hora antes de ser morta com uma facada”, relatou o delegado ao G1.

Para o delegado, o crime ocorreu após uma briga motivada pelo uso de drogas. “Ainda não temos certeza, mas tudo leva a crer que o problema foi por causa disso. Ainda mais porque os familiares da vítima nos confirmaram que Nelci, que nasceu em Cachoeira Dourada, mas morava em Rio Verde, era usuária de drogas. Além disso, entre os suspeitos presos, alguns já eram investigados por tráfico”, destacou.

Após se entregarem, a mãe e a filha foram levadas para o 2º Distrito Policial de Itumbiara, onde prestam depoimento nesta manhã. Em seguida, elas serão encaminhadas para o Presídio Regional de Sarandí.

Imagens
Os demais suspeitos foram presos na última quinta-feira (5), sendo dois jovens de 18 e 20 anos e um menor, de 16. Eles foram flagrados pela câmera de segurança transportando o corpo da vítima com a ajuda de uma bicicleta. Além deles, também foi preso um homem de 38 anos e sua mulher, de 37, que são pais do jovem de 20 anos.

Segundo a polícia, após o crime, os dois jovens e o menor resolveram se desfazer do corpo. Eles o enrolaram em um cobertor e o levaram sobre uma bicicleta até uma mata às margens de um córrego, a uma distância de cerca de 800 metros do local do crime.

Após deixarem o corpo no local, eles queimaram pertences da vítima. O cadáver foi encontrado um dia depois do crime, após uma denúncia anônima. “Ainda estamos destacando a responsabilidade de cada um deles”, destacou o delegado.

Os suspeitos também estão recolhidos no Presídio Regional de Sarandí e serão indiciados pelo crime de homicídio qualificado, podendo ser condenados a cumprir pena de 12 a 30 anos de prisão. Além disso, eles também podem responder por ocultação de cadáver, tráfico de drogas, associação para o tráfico, coação no curso do processo, corrupção de menor e favorecimento pessoal.

De acordo com o delegado, o adolescente responderá pelo ato infracional análogo ao crime. Assim, ele pode ficar internado em um centro socioeducativo por três anos.

G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios