Justiça manda soltar acusado de ser o maior traficante de drogas de Goiás

Marcelo ‘Olhos Verdes’ estava preso desde maio, em Aparecida de Goiânia.

marceloApontado pela polícia como o maior traficante de drogas de Goiás, Marcelo Gomes de Oliveira foi solto na noite de terça-feira (20). Conhecido como “Marcelo Olhos Verdes”, ele é acusado pela Polícia Civil de chefiar uma quadrilha que ostentava bens de luxo avaliados em R$ 80 milhões.

Marcelo Oliveira deixou o presídio em Aparecida de Goiânia , na Região Metropolitana, por volta de 22h acompanhado por um casal.

O alvará de soltura foi assinado pelo juiz federal da 11ª Vara da Sessão Judiciária de Goiás, Leão Aparecido Alves. O motivo não é especificado no documento, mas, segundo o site do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, a decisão foi relacionada a um processo por tráfico de drogas. Já no site do Tribunal de Justiça de Goiás, o processo é dado com baixado. O homem responde ainda a outros dois processos, sendo um deles por roubo.

Marcelo estava preso em uma cela de segurança máxima na Penitenciária Odenir Guimarães (POG) desde maio do ano passado. Ele foi detido em uma mansão no Distrito Federal, durante a Operação Esmeralda da Polícia Civil, que prendeu outras 14 pessoas.

De acordo com a polícia, a quadrilha era proprietária de duas fazendas com mais de 7 mil hectares, 1,5 mil cabeças de gado e sedes luxuosas. Na operação também foram apreendidas joias, 22 veículos nacionais e importados e 900 quilos de pasta-base de cocaína. Além disso, o líder do grupo era dono de um posto de combustíveis e tinha participação em uma casa de câmbio que, segundo os investigadores, fornecia dólares para o esquema.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, em 2000, Marcelo foi condenado a 21 anos de prisão por latrocínio, mas após cerca de três anos teve progressão de pena ao regime semiaberto e foragiu. Ele voltou a ser preso em 2007 por tráfico de drogas, mas conseguiu liberdade provisória.

Na ocasião, ele utilizava o nome falso de Marcelo Gomes de Aguiar. Segundo a polícia, em 2001 o traficante passou a usar o nome de José Marcelo Rodrigues de Morais. Por fim, em 2013, protocolou uma ação de retificação de nome na comarca de Aruanã, solicitando o acréscimo do prenome “José” ao seu nome verdadeiro.

G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios