Jovem é condenado a 22 anos de prisão por matar professora em Goiás

0
207

Vítima sumiu após pegar carona com acusado em uma festa, em 2012.

condenacaoCondenado por júri popular, Bruno Moraes Elias, de 26 anos, pegou 22 anos e três meses de prisão pela morte da professora Viviane Cardoso de Souza, de 23 anos, emLuziânia, no Entorno do Distrito Federal. A sentença, que também incluiu os crimes de estupro e ocultação de cadáver, foi proferida pela juíza Alice Bruno, na quinta-feira (4). A vítima foi encontrada nua em uma cisterna, em 2012.

Apesar de confessar que assassinou a professora, o réu disse que não a estuprou. Entretanto, para a promotoria, não havia dúvida de que o abuso ocorreu. Os sete componentes do júri popular não acataram a defesa de Bruno e também decidiram pela condenação por crime de estupro.

Vestidos com camisetas estampadas com foto da professora, familiares e amigos assistiram ao julgamento. Os pais de Viviane se emocionaram ao ouvir a sentença.

Crime
Conforme a Polícia Civil, após uma festa de faculdade, Viviane e outras quatro pessoas pegaram carona com Bruno para voltar para casa, no dia 28 de setembro de 2012. Viviane foi a última a ser deixada. Uma testemunha relatou que o suposto criminoso tentou ficar com a professora na festa, mas ela teria recusado as investidas.

Após cinco dias desaparecida, Viviane foi encontrada morta na cisterna de uma chácara do Setor Jardim Ingá. A mãe da jovem, Maria de Sousa, desmaiou ao ver o corpo da filha ser retirado do poço.

Viviane cursava letras em uma faculdade particular de Cidade Ocidental. Ela também dava aulas em uma escola da rede pública no Jardim Ingá.