Instituições financeiras estimam leve redução no déficit do Governo Central

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

Instituições financeiras consultadas pelo Ministério da Fazenda esperam que o déficit primário do Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) termine este ano em R$ 159,8 bilhões ante os R$ 160,3 bilhões previstos anteriormente.

A projeção consta da pesquisa Prisma Fiscal divulgada mensalmente e elaborada pela Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda, com base em informações de 30 instituições financeiras. O resultado foi divulgado hoje (13), em Brasília.

Para 2017, a estimativa de déficit passou de R$ 140,1 bilhões para R$ 145,3 bilhões. A projeção para a arrecadação federal este ano permanece próxima de R$ 1,269 trilhão e para 2017 a estimativa chega a R$ 1,354 trilhão.

Para a receita líquida do Governo Central a estimativa é que caia de R$ 1,082 trilhão este ano para R$ 1,078 trilhão e, no ano que vem, apresente também queda, registrando R$ 1,171 trilhão. Para as despesas, a expectativa é de queda de R$ 1,241 trilhão para R$ 1,237 trilhão este ano, e passe de R$ 1,320 trilhão para R$ 1,316 trilhão em 2017.

A pesquisa apresenta também a projeção para a dívida bruta do Governo Central, que, na avaliação das instituições financeiras, deve ficar em 73,50% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano. Para 2017, a estimativa passou de 78,40 para 78,20% do PIB – a soma de todas as riquezas produzidas pelo país.

Notícia postada em  

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e nosso Termos de Uso, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.