Humanos e clima quente extinguiram animais

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

A chegada dos humanos à Patagônia unida à uma forte mudança climática levou à extinção de diversas espécies de animais de grande porte, como mamutes e preguiças gigantes há 12 mil anos atrás na América do Sul. O estudo foi publicado nesta sexta-feira (17 junho 2016), na revista “Science”.

O estudo foi realizado pela Universidade de Adelaide, na Austrália, e mostra um momento considerado significativo para a história do continente americano: quando ocorreu a extinção em massa da nossa “megafauna”, composta por animais de grande porte.

Segundo os pesquisadores, a simples presença dos seres humanos na Patagônia não foi o suficiente para garantir a extinção desses animais, mas, associada a um clima mais quente e árido, foi capaz causar o colapso de muitas espécies.

Para chegar ao resultado da pesquisa, os cientistas sequenciaram o DNA de 89 amostras de ossos e dentes da “megafauna”, encontrados em cavernas e abrigos sobre rochas da Patagônia. Eles conseguiram chegar a uma data para 71 desses amostras e associar se a extinção tinha relação com eventos já conhecidos da história.

A devastação dessas espécies demorou pouco tempo em relação à história da humanidade: apenas 300 anos. Ainda segundo o estudo, a extinção começou logo após o aquecimento climático da região da Patagônia. Depois, os seres humanos tiveram papel importante e, através da caça, colocaram mais pressão sobre os animais.

Notícia postada em  

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e nosso Termos de Uso, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.