GDF: A 2 dias do fim do ano, 6 categorias seguem sem receber salários e 13º

0
55

GDF diz que 13º será pago nesta terça; governo remanejou R$ 1 bilhão.

foto13Médicos, professores, garis, vigilantes, e terceirizados da limpeza que prestam serviços para o governo do Distrito Federal, além de servidores públicos da administração direta, ainda não receberam o pagamento de horas extras, 13º salários ou de benefícios referentes a dezembro e meses anteriores. Dezesseis creches conveniadas e a Sanoli, empresa responsável pelo fornecimento de alimentação para hospitais públicos, também alegam falta de pagamento e aguardam repasses do GDF.

Na manhã desta segunda (29), o secretário de Administração Pública, Wilmar Lacerda, afirmou que todos os servidores estarão com os salários nas contas até terça-feira. Segundo ele, cerca de 10 mil profissionais das áreas de Saúde e Educação ainda não receberam o 13º salário.

O procurador do Distrito Federal Osdymar Matos, que representou o governo do DF em uma audiência com empresas terceirizadas no Ministério Público do Trabalho, em Brasília, disse nesta segunda que R$ 1 bilhão está sendo remanejado pelo GDF para pagar salários atrasados de funcionários. A Secretaria de Administração Pública informou ao G1 que o 13º ainda pendente deverá ser quitado ainda nesta segunda e aparecer nas contas na terça.

Médicos
Segundo o Sindicato dos Médicos do DF (Sindmédico), com a ausência do pagamento de horas extras de outubro, os profissionais estão trabalhando apenas “dentro do horário contratual”. Em novembro também houve atraso no pagamento das horas fora de contrato. Segundo o Sindmédico, foram pagos R$ 21 milhões a mais aos servidores no mês passado. O sindicato não soube estimar quanto o GDF deve em horas extras neste mês.

A Secretaria de Saúde, em nota, informou que o pagamento depende de repasse da Secretaria de Administração Pública. Já a pasta de Administração informou, em nota, que “não há previsão de pagamento aos servidores da saúde até a presente data.”

Professores
O Sindicato dos Professores (Sinpro) informou que o governo deve aproximadamente R$ 70 milhões a professores, relativos ao 13º salário. “O 13º para quem faz aniversário em dezembro não foi pago, assim como de quem faz aniversário anterior ao nosso reajuste”, afirmou a diretora do Sinpro, Rosilene Correa. As escolas estão em férias e, por esse motivo, alunos não foram afetados pelo problema. A diretora não informou quantos professores estão sem receber. O sindicato afirmou que vai se reuniria nesta noite com o governador Agnelo Queiroz e com diretores da Central Única dos Trabalhadores (CUT) para chegar a uma resolução. O GDF disse que os valores estarão na conta até esta terça (30).

Garis
Pela segunda vez em duas semanas, 2,2 mil garis que fazem a coleta de lixo na capital paralisaram as atividades, nesta segunda, por falta de pagamento do 13º salário e do tíquete-alimentação. Trabalhadores da Valor Ambiental encerraram a paralisação logo no início da manhã, após confirmarem o recebimento dos valores devidos. Os funcionários da Sustentare, que atendem 17 regiões do DF, permaneciam paralisados até as 13h. A empresa informou que efetuou a transferência dos valores e que o benefício deve cair na conta até o fim do dia.

Terceirizados da limpeza
Uma parte dos funcionários terceirizados responsáveis pela limpeza nos hospitais do DF retomaram as atividades na última sexta-feira (26), após uma semana de paralisação, por causa do atraso no pagamento do 13º salário, do tíquete alimentação e do vale transporte, que deveriam ter sido pagos até o dia 20. O sindicato que representa a categoria informou que 23 mil pessoas continuam prejudicadas sem o salário e pelo menos 70% desses trabalhadores estão com as atividades paralisadas.

Vigilantes
O Sindicato dos Vigilantes do DF, que representa os trabalhadores das empresas Santa Helena Vigilância e Ipanema, informou que 1,7 mil terceirizados ainda não receberam os salários de dezembro, mas que eles não paralisaram as atividades. “Os da Santa Helena até agora não receberam nada do 13°, os da Ipanema receberam R$ 780, a metade”, afirmou o vice-presidente do sindicato, Paulo Quadros.

Servidores públicos
De acordo com o sindicato que representa a categoria, cerca de 80 mil servidores públicos que fazem aniversário em dezembro e deveriam receber o 13º no dia 19 deste mês estão com os pagamentos atrasados. Eles são funcionários da Procuradoria-Geral e das secretarias de Agricultura, Meio Ambiente, de Governo, Novacap, Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Agência de Fiscalização (Agefis), Terracap e Codeplan.

Creches
De acordo com o Conselho das Entidades, 16 instituições conveniadas ao governo do Distrito Federal não recebem repasses do GDF há pelo menos três meses. A organização não informou quantos funcionários estão com salários atrasados por conta da falta de pagamento, mas afirmou que a dívida é de aproximadamente R$ 8 milhões.

No dia 19, após um protesto realizado por trabalhadores das instuições, o GDF repassou R$ 4 milhões às entidades que estavam paralisadas e prometeu pagar outros R$ 4 milhões na segunda (22). O acordo, segundo o conselho, não foi cumprido. Pouco mais de 3 mil crianças frequentam as 16 creches, que estão em período de férias.

Alimentação nos hospitais
Responsável pelo fornecimento de alimentação a funcionários, acompanhantes e pacientes da rede pública de saúde do DF, a Sanoli afirma ter R$ 23 milhões a receber do GDF. Nos últimos três meses, a empresa paralisou os serviços três vezes por falta de pagamento. De acordo com a companhia, o fornecimento de refeições está normalizado enquanto durar o estoque, mas que não há recursos para comprar mais insumos. A companhia afirma que a Secretaria de Saúde realizou os pagamentos referentes a outubro, mas que há duas faturas em aberto.

Dificuldades financeiras
O governo do Distrito Federal alega que teve uma arrecadação menor do que a esperada e que isso se refletiu no pagamento de servidores e manutenção de serviços. O Executivo afirma que vai fechar as contas e entregar o governo sem dívidas ao próximo gestor, Rodrigo Rollemberg.

G1