Fiscalização apreende 257 camisas e bandeiras em vias do DF

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

bandeiraA Secretaria da Ordem Pública e Social (Seops) e a Agência de Fiscalização (Agefis) recolheram, nesta segunda-feira (9), 257 produtos que eram vendidos por ambulantes irregulares. As mercadorias estavam expostas em vias públicas de Brasília, Guará e Park Way.

 A maior parte da mercadoria recolhida, 168, eram camisas da Seleção Brasileira. Havia ainda calções, bandeiras, bolas, chaveiros, cornetas, agasalhos e roupas infantis, tudo relacionado ao time brasileiro. Os quatro ambulantes que vendiam as mercadorias acabaram liberados, pois nenhum dos produtos trazia desenhos ou etiquetas de marcas, o que poderia configurar a falsificação.

 Os produtos foram apreendidos na 102 Sul, no Plano Piloto, e nas estradas parque Aeroporto, Núcleo Bandeirante e Guará. A mercadoria estava exposta em varais ou bancas, bem próximo aos acostamentos.

 “É um risco para motoristas, pedestres e até para os próprios ambulantes. Tristemente, na semana passada, um deles acabou falecendo depois de ser atingido por um carro, na BR-040, em Santa Maria”, lembrou o subsecretário de Operações da Seops, Luciano Teixeira.

 O subsecretário afirmou que é comum o aumento desse tipo de comércio ilegal às vésperas de grandes eventos e que, por conta disso, a fiscalização será intensificada.

 Os produtos apreendidos foram levados para o depósito da Agefis, mas poderão ser recuperados em até 30 dias caso os vendedores apresentem nota fiscal e paguem multa referente aos custos da operação. Dezoito servidores participaram da fiscalização.

 AUTORIZAÇÃO – De acordo com a legislação que regula as atividades econômicas do DF, a venda de mercadorias em área pública que não foi autorizada pelo Estado é considerada irregular. Feirantes e demais lojistas podem conseguir uma autorização na Administração Regional da cidade onde se pretende comercializar produtos.

Para os ambulantes, a opção é solicitar uma licença eventual na Coordenadoria das Cidades. Basta levar ao órgão RG e CPF e se inscrever na lista de interessados. Vale ressaltar, no entanto, que, na maioria dos casos, o comércio ambulante está autorizado somente para shows e eventos, com dia e horário definidos. A escolha de quem pode atuar, nesse caso, ocorre por sorteio mobilizado pela Coordenadoria das Cidades.

Notícia postada em  

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e nosso Termos de Uso, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.