Família de adolescente grávida morta se surpreendeu com confissão de ex

Corpo foi achado em serra com marcas no pescoço, em Jaraguá, GO.

jovemA família da adolescente Shayda Munielle, 17, que foi encontrada morta no Parque Ecológico Serra de Jaraguá, na região central de Goiás, diz ter se surpreendido com a confissão do crime pelo ex-namorado da vítima, um menor de 16 anos. “Ele sempre a ameaçava depois que terminaram, mas esteve do nosso lado o tempo todo, prestando apoio, então nunca desconfiei dele. Mas na verdade ele foi muito cruel”, disse ao G1 um irmão da menor, Igor Camargo Teodoro, 25 anos.

O irmão conta que Shayda, que estava grávida de sete meses, desapareceu na última quarta-feira (1º), quando saiu de casa para se encontrar com o suspeito. “Eles tiveram um namoro e, logo quando ela engravidou, eles romperam. Desde então, ele vivia fazendo chantagem por conta da gravidez, mas a gente nunca imaginou que podia matá-la. No dia em que sumiu, ela foi até o Parque de Exposições da cidade para encontrá-lo e, de lá, ele a levou até a serra”, contou.

Segundo Teodoro, o suspeito chegou a ajudar nas buscas pela adolescente. “Ele veio até aqui, se dispôs a nos ajudar, divulgou o desaparecimento dela nas redes sociais. Um dia eu passei mal e ele me acompanhou até o hospital. Não acredito que ele sabia de tudo. E o pior de tudo é que acabou com duas vidas: a dela e a do bebê”, lamentou.

O corpo de Shayda foi encontrado no sábado (4) por um detento da cadeia da cidade, que havia fugido na última sexta-feira (3). Segundo a polícia, o preso estava cruzando o parque para encontrar com um comparsa, que o ajudaria na fuga, quando encontrou o corpo, que estava a cerca de 50 metros do topo da serra.

Quando a polícia conseguiu recapturar o fugitivo, ele informou que havia localizado a vítima e levou a polícia até o local, que fica em uma área de difícil acesso. O Corpo de Bombeiros foi acionado e utilizou técnicas de rapel e multiplicador de força para retirar a garota morta, que foi entregue à Polícia Técnico-Científica.

De acordo com o delegado Marco Antônio Maia, responsável pelo caso, o adolescente, apreendido na segunda-feira (6), disse que matou a vítima por duvidar da paternidade do bebê. “Ele disse que a matou para acabar com boatos de que ele não era o pai da criança que ela esperava”, explicou.

Enforcada
O delegado diz que desde o início suspeitava do adolescente, pois ele manteve um relacionamento com a vítima na época em que ela engravidou. “Os dois namoravam e estavam separados há cerca de cinco meses. Sendo assim, ela engravidou ainda quando os dois estavam juntos. Apesar disso, o menor suspeitava de que não era o pai da criança e disse não suportar os comentários de populares de que ele havia sido traído. Por isso, ele a matou”, relatou.

Maia contou, ainda, que o suspeito usou um pedaço de jeans para enforcar Shayda. “Ele premetidou o crime, levou essa tira de pano, a chamou até a serra e, após uma conversa, a enforcou. Depois, jogou o corpo em uma ribanceira. Mesmo dizendo que está arrependido do que fez, acredito que ele agiu com muita frieza o tempo todo”, disse.

O menor foi levado inicialmente para a delegacia de Jaraguá. No entanto, para preservar sua integridade física, ele foi transferido para um local não revelado pela polícia. “A população está muito revoltada com esse caso, pois ele participou do enterro da vítima, prestou apoio aos familiares, então, mostrou crueldade, pois sabia de tudo o que tinha acontecido. Se deixássemos ele lá, seria linchado”, destacou o delegado.

Segundo Maia, o menor vai responder pelos atos infracionais de ocultação de cadáver, homicídio e aborto. “Infelizmente, pelas nossas leis, ele não passará mais do que três anos apreendido. Apesar da crueldade do crime que cometeu, ele estará de volta na sociedade em pouco tempo”, concluiu.

G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios