Exportar produtos agrícolas é um “privilégio” no cenário atual, diz ministro

exportaO ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Mauro Borges, disse ontem (2) que o perfil das exportações brasileiras – cujas vendas de produtos primários ultrapassaram 50% da pauta de exportações, segundo a última balança comercial – é um “privilégio” no atual contexto, de recente recuperação da economia mundial e retração comercial. Borges participou na manhã desta quarta-feira do lançamento do portal BrasilExport – Guia de Comércio e Exterior e Investimento, no Itamaraty.

No dia 1º, o ministério divulgou o resultado da balança comercial de junho, em que foi registrado o melhor período desde 2011. Neste mesmo resultado, verificou-se que as exportações brasileiras de produtos primários – como minerais e bens agrícolas – correspondem a mais da metade da pauta comercial.

“Isso [perfil agrícola] é um privilégio, em um contexto internacional tão adverso, ter uma base de produtos primários, especialmente agrícolas, tão competitivo no mundo”, disse Borges.

O ministro explicou que, como a variação da demanda por produtos básicos – especialmente alimentos – é menor do que a variação da demanda por produtos industrializados – em muitos casos, supérfluos -, o mercado brasileiro fica menos suscetível em relação à renda mundial.

“Em um momento de vacas magras do comércio internacional, ter produtos de baixa elasticidade [cuja demanda varia menos] e que vão ser consumidos a qualquer custo, é uma vantagem. A China, por exemplo, não vai reduzir a compra de produtos alimentares básicos em razão de uma baixa conjuntural da economia; o que pode ser feito em relação às manufaturas. Essa é uma posição que poucos [países] podem ter”, explicou.

No evento do qual o ministro participou hoje, foi lançada uma página do governo na internet com o objetivo de facilitar o acesso às informações sobre comércio exterior e de fomentar os investimentos no país. O projeto é uma parceria da pasta com os ministérios Ministério das Relações Exteriores e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

ABr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios