Segurança é morto em empresa ao cobrar acerto trabalhista, em Goiás

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

Segundo delegado, segurança disparou contra homem e fugiu em seguida.

Um segurança foi morto nesta quarta-feira (17) após ir à empresa de embalagens onde trabalhava para cobrar o acerto trabalhista e salários atrasados, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Segundo as investigações, Ademar Ferreira Rocha Júnior, de 45 anos, levou um tiro nas costas depois de discutir com um segurança do local, que está foragido.

A indústria fica às margens da BR-060. A vítima trabalhou no local no ano passado durante seis meses, mas foi demitido em dezembro. A mulher dele, Mari Carvalho, também atuou como gerente financeira da instituição por oito anos. Ela lamentou o assassinato do marido.

“A gente veio receber aquilo que a gente tem de direito. Eu trabalhei, dei minha vida por isso aqui para acontecer isso. Isso não é justo. Se tivesse descido aqui e falado ‘eu não tenho dinheiro para te pagar, vai procurar outra coisa ou venha outro dia’, não sei. Mas falasse alguma coisa. Aí manda o segurança vir falar com a gente. Ele já apontou a arma para gente”, disse.

A Polícia Civil identificou o suspeito do crime como Fábio Olavo. Segundo o delegado Wander Coelho, responsável pelo caso, o homem teria passado em sua residência antes de fugir.

“Ele efetuou os disparos, abandonou a arma no local e fazendo o uso de uma caminhonete da empresa ele fugiu. Nós temos informações que ele esteve na sua casa, pegou alguns pertences e está foragido. As equipes estão fazendo diligências por toda cidade para tentar localizar esse cidadão e efetuar sua prisão”, destaca.

Vários outros servidores da empresa, que também foram demitidos, vivem o drama de não receber o dinheiro da recisão trabalhista. O caso, inclusive, é acompanhado pela Delegacia Regional do Trabalho, que apurava irregularidades na unidade.

G1

Notícia postada em  

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e nosso Termos de Uso, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.