‘Era um menino bom’, diz vizinha de rapaz preso acusado de terrorismo

0
51

Rapaz de 18 anos, que viveu a infância em Formosa, está detido na Bulgária.

ieVizinhos do brasileiro de 18 anos detido na Bulgária, acusado de terrorismo, dizem que ele apresentava um comportamento tranquilo durante a infância, vivida em Formosa, a 280 km de Goiânia. “Lembro que ele era um menino muito bom, de uma família muito humilde. Quieto, não era de bagunça, estudava. Você não via ele muito na rua, brincava mais com os primos dentro de casa”, relatou a aposentada Aroni dos Santos.

Já o guarda municipal Relson de Moura, que mora nas proximidades da casa da família, afirma que ele namorava uma garota muçulmana e acredita que isso o levou a ter conhecimento sobre grupos islâmicos. “Segundo me contou a mãe dele, que esteve aqui no Brasil, ele estaria namorando essa muçulmana e me mostrou as fotos dela com ele”, disse.

De acordo com reportagem do jornal O Globo, o rapaz se chama Kaique Luan Ribeiro Guimarães e mora na Espanha com parentes há cerca de 10 anos. Ele foi preso pela Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol) no último dia 15 de dezembro, quando seguia de carro com dois amigos marroquinos e tentava atravessar a fronteira entre a Bulgária e a Turquia. As autoridades espanholas, que solicitaram a prisão, dizem que eles tentavam se juntar a um grupo de insurgentes sírios na facção radical Estado Islâmico.

No entanto, informações de agências europeias dão conta de que os detidos alegam inocência e dizem que estavam em uma viagem de férias rumo à Turquia e à Grécia.

Procurado, o Ministério das Relações Exteriores diz que está “prestando assistência consular” ao rapaz, mas não confirmou a identidade dele para respeitar a privacidade de cidadãos brasileiros no exterior e de suas famílias.

O G1 também tentou contato com a Secretaria de Assuntos Internacionais de Goiás, mas as ligações não foram atendidas até a publicação desta reportagem.

Desde a prisão, o rapaz segue na cidade de Haskovo, na Bulgária. No último dia 23, ele pediu à Justiça do país sua extradição para a Espanha, que também já havia feito a mesma solicitação anteriormente. As autoridades espanholas querem que ele seja julgado no país por associação a organização terrorista.

Na casa em que a família morava, em Formosa, ainda vive um rapaz, que seria irmão do jovem. Procurado pela reportagem da TV Anhanguera, ele não quis comentar o assunto. Uma tia de Kaique, que também mora na cidade, também preferiu não se pronunciar. Segundo os vizinhos, os demais familiares do rapaz também moram na Espanha.

Grupo radical
O Estado Islâmico do Iraque e Levante, atualmente chamado apenas de Estado Islâmico, é um grupo jihadista radical que conseguiu recrutar milhares de combatentes.

A facção surgiu a partir do Estado Islâmico no Iraque, o braço iraquiano da Al-Qaeda dirigido por Abu Bakr al-Bagdadi. Em abril de 2013, Bagdadi anunciou que o Estado Islâmico do Iraque e a Frente Al-Nosra, um grupo jihadista presente na Siria, se fundiriam para se converter no Estado Islâmico do Iraque e Levante.

Mas a Al-Nosra negou-se a aderir a este movimento e os dois grupos começaram a agir separadamente até o início, em janeiro de 2014, de uma guerra entre eles. O Estado Islâmico contesta abertamente a autoridade do chefe da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahiri, e rejeitou seu pedido de que se concentre no Iraque e deixe a Síria para a Al-Nosra.

O grupo ganhou “fama” mundial após divulgar, entre agosto e setembro deste ano, vídeos de três decapitações de reféns ocidentais que estavam presos na Síria. Duas das vítimas eram jornalistas norte-americanos, e a terceira, um agente humanitário britânico.