Empresário diz que atropelou três jovens para se defender: ‘Ia apanhar’

0
153

Motorista conduzia bêbado uma Mercedes Benz em Goiânia, diz polícia.

atropelamentoO empresário de 37 anos preso suspeito de atropelar três jovens na saída de uma festa em Goiânia, afirma que agiu em legítima defesa. “Eles estavam na frente do meu carro e não tinha como eu não evadir, se não eu ia apanhar, iam quebrar [o carro]. Vocês podem ver meu carro, ele está todo amassado na lateral, que eles chutaram”, afirma José Vinicius Toledo Gramacho.

O atropelamento aconteceu na manhã de domingo (21), na saída de uma festa realizada no Goiânia Golf Clube. Os rapazes tiveram ferimentos leves e não precisaram ser hospitalizados. Segundo a Polícia Militar, o empresário dirigia embriagado uma Mercedes Benz.

Após o atropelamento, o suspeito fugiu, mas um policial militar que estava de folga presenciou a confusão e acionou a PM. Gramacho, que diz ser ex-sócio de uma casa noturna de música sertaneja em Goiânia, foi preso logo depois, nas proximidades de sua residência em um condomínio fechado da capital.

De acordo com a polícia, um dos feridos tem 24 anos e os outros dois, 27 anos, sendo que um deles é tenente da Marinha. Vítimas e suspeito foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) para fazer exame de corpo de delito. Conforme a polícia, o teste clínico constatou que o empresário estava embriagado.

Os envolvidos na confusão foram encaminhados ao 8º Distrito Policial, no Setor Pedro Ludovico. O empresário estava com um dos braços quebrados ao chegar ao local.

Na delegacia, o suspeito afirmou que a briga teve início quando ele presenciou as vítimas agredindo uma mulher. “Tinha uma pessoa agredindo uma menina na entrada, eu pedi para que ele não agredisse ela”, afirma. Em seguida, os rapazes teriam começado a brigar com o empresário, quando ele afirma ter fugido para não apanhar.

As vítimas divergem da versão do empresário e afirmam que o homem buscou o veículo e os atingiu propositalmente. “Começou uma discussão entre eu, ele e o namorado da minha prima, entramos em vias de fato, brigamos, ele foi, buscou o carro dele e tentou nos matar atropelados”, afirma um dos rapazes, que não quis ser identificado.

O empresário foi autuado por lesão corporal, direção perigosa e desobediência, porque, segundo a polícia, não atendeu ao pedido de parada. Ele segue preso na manhã desta segunda-feira (22) em uma cela da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (Derfva).

G1