Em tom de deboche, líder do Governo diz que venda da Celg é pra fazer um “caixinha”.

0
93

O líder do Governo Marconi Perillo (PSDB) na Assembleia Legislativa, Deputado José Vitti, também do PSDB, tripudiou dos goianos durante votação de projeto que autorizou o executivo a vender os 49% das ações da Centrais Elétricas de Goiás – Celg.

Segundo Vitti já não faz mais diferença em vender, ou não vender, a Celg, já que o Estado não é mais dono majoritário da companhia: “a Eletrobras manda em maior parte, e lá na frente eles vão vender também. Então, vamos vender logo, fazer um caixinha”, afirmou o tucano em tom de deboche, inclusive rindo da situação.

O que o líder de Perillo não se importou em explicar ao povo goiano foi a razão da companhia ter chegado a esse ponto. Em 2010, o então Governador Alcides Rodrigues, ex-aliado do tucano, entabulou acordo com a Eletrobras no sentido de salvar a Celg. Após três anos de longas negociações, Alcides conseguira um acordo para que a estatal goiana fosse, finalmente, recuperada por uma operação de crédito, com amplas vantagens para o governo goiano: o Estado cederia 5% de suas ações da Celg ao governo federal e este autorizaria um empréstimo para sanar as contas da empresa. Com isso as tarifas poderiam ser reajustadas e a empresa novamente viabilizada.

Como Governador eleito, porém, Marconi enviou carta a direção da Caixa, agente financeiro do negócio, dizendo que não honraria com o compromisso assumido por Alcides Rodrigues. O resultado foi o que todos os goianos viram: a Celg foi inviabilizada pela vaidade de Perillo e o Estado obrigado a ceder o controle acionário da companhia para a Eletrobras. O preço da transação (51% das ações) foi irrisório: R$ 56 milhões ou 0,8% do valor de mercado da estatal, avaliada, à época, por R$ 7 bilhões.

Hoje, no entanto, a base de Perillo na Assembleia faz chacota com o fato de termos perdido a Celg, mas o que ocorreu, na verdade, foi uma das maiores aberrações de um administrador público que Goiás já viu. Por pura vaidade o Estado de Goiás perdeu a sua maior empresa. Os deputados da base perderam a vergonha e os goianos o patrimônio.

Opinando