Dupla especializada em roubar relógios Rolex é presa em Goiânia

Câmeras de segurança flagraram um dos roubos na capital goiana.

suspeitosA Polícia Civil apresentou na manhã desta segunda-feira (3) dois homens suspeitos de roubar relógios de luxo, principalmente da marca Rolex, avaliados em até R$ 150 mil, em bairros nobres de Goiânia. De acordo com a delegada Adriana Ribeiro de Barros, da Delegacia de Investigações Criminais (Deic), a dupla fez 15 vítimas na capital em um período de cinco meses. “Eles também agiam em Brasília e em Uberlândia [MG]. Somando apenas as vítimas de Goiânia, o prejuízo passa de R$ 1 milhão”, afirmou.

Um dos crimes, que ocorreu no último dia 27 de setembro, no Setor Bueno, foi registrado por câmeras de segurança (veja vídeo acima). Nas imagens é possível ver quando a vítima é perseguida e, ao parar na frente de um imóvel, é roubada pelos criminosos.

Os suspeitos, identificados como Bruno Henrique Lima, 29 anos, e César Ramos Martins, 25, moram em Taboão da Serra, na Grande São Paulo, mas viajavam semanalmente para cometer os crimes. “Eles agiam de forma organizada e sempre em busca de pessoas em carros importados. De 15 em 15 dias, às quartas e quintas-feiras, eles se hospedavam em um hotel em Goiânia e se dirigiam aos bairros nobres para roubar. Às sextas-feiras e sábados, iam para Brasília. De posse os itens roubados, eles voltavam para o estado natal, onde os revendiam”, explicou a delegada.

Adriana afirma que eles escolhiam as vítimas aleatoriamente, principalmente a região do Residencial Alphaville e na saída do Aeroporto de Goiânia. “Eles seguiam em busca de carros de luxo, já que os donos normalmente são pessoas de alto poder aquisitivo, que usam joias e os relógios caros. Eles abordavam as vítimas com violência, exigindo os pertences”, contou.

Segundo Adriana, a polícia investiga se a dupla tem ligação com uma organização criminosa que atua em São Paulo. “Isso ainda está sendo levantado, mas agora as nossas investigações vão tentar descobrir se realmente existe esse elo e se os relógios roubados eram enviados para o grupo”.

Prisão
Os suspeitos foram presos na última sexta-feira (31), logo após um assalto a uma mulher. De acordo com a delegada, a vítima seguia pela Rua 115, no Setor Sul, quando foi abordada pelos criminosos. “Eles bateram no vidro do carro, ela se assustou, subiu no meio-fio, mas continuou em frente. Aí entrou no estacionamento de uma farmácia e pediu socorro. Os dois a seguiram, quebraram a porta de vidro do estabelecimento, e a abordaram lá dentro, exigindo o Rolex, avaliado em R$ 60 mil”.

Logo depois, os dois fugiram em uma Honda CB 300, que estava com a placa levantada, pela Rua 116 A. Neste momento, a delegada e uma equipe de investigadores faziam diligências pelo bairro e notaram a atitude suspeita. “Quando eu vi os dois, percebei que tinha algo errado e fomos atrás. Eles estavam com o relógio. Em seguida, a vítima os reconheceu e chegamos à autoria dos outros crimes”, relatou Adriana.

Com a dupla, além do relógio, também foram apreendidos um revólver calibre 32, munições e a motocicleta, que pertence a um deles. Os dois já tinham passagens na polícia paulista por concurso de pessoas e porte ilegal de arma de fogo.

Na delegacia, os suspeitos disseram que vendiam cada relógio por valores que giravam entre R$ 2 mil e R$ 4 mil. Questionados sobre a ligação com a organização criminosa, ambos negaram. “Eu trabalhava em uma fábrica, mas fiquei desempregado e não tinha opções. Mas não participo desse grupo”, afirmou César.  Já Bruno disse que trabalhava como motoboy. “Também estava desempregado há três meses e precisava de dinheiro”.

Segundo a delegada, eles serão indiciados por roubo qualificado. Após depoimentos, os dois serão levados para a Casa de Prisão Provisória (CPP) de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios