Aparecida de Goiânia, terça-feira, 21 de setembro de 2021

Queimadas na Amazônia e mortes pela covid-19 são as principais queixas contra o presidente brasileiro, que é o único entre os líderes do G-20, grupo que reúne as principais economias do mundo, que não se vacinou

O presidente Jair Bolsonaro desembarcou, na noite do último domingo, em em Nova Iorque, para participar da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), na próxima terça-feira (21). Sem tomar vacina contra covid-19, Bolsonaro chega isolado politicamente.

Ainda ontem, o presidente foi recebido sob protestos no Hotel Intercontinental Barclay, onde está hospedado. Com faixas de “Fora Bolsonaro” e também contra os militares, Bolsonaro foi obrigado a entrar pela porta dos fundos do hotel. Em 2019, última vez em que esteve na cidade norte-americana, Bolsonaro encontrou manifestantes a favor e contra seu governo.

Sem ter se vacinado, Bolsonaro chegou aos Estados Unidos sob polêmica. Em nova Iorque, é obrigatório o comprovante de vacinação para que as pessoas acessem vários locais, entre eles, restaurantes. Por outro lado, a ONU permitiu que o presidente brasileiro acesse o prédio e faça seu discurso, mas será obrigado a seguir os protocolos sanitários.

A prefeitura de Nova Iorque chegou a enviar uma carta para o presidente da Assembleia-Geral da ONU pedindo a vacinação dos participantes. Abdulla Shahid apoiou a ideia e submeteu o pedido ao secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, que disse não poder barrar os chefes de Estado.

Bolsonaro isolado na ONU
Bolsonaro chega para seu terceiro discurso na Assembleia. Sem o apoio do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump e com a imagem arranhada, após um discurso anti-diplomático em 2019, a expectativa é que o presidente da República apresente sua falsa versão “moderada”.

A perspectiva é que o presidente do Brasil busque reverter uma crise de imagem internacional abordando exemplos de “avanços” ambientais em sua gestão, apontando para o aumento da taxa de vacinação e o recuo da pandemia entre os brasileiros.

De acordo com o jornalista Jamil Chade, no Uol, o nome de Bolsonaro é associado a reclamações, denúncias e ironias, nos corredores da ONU. Ele diz que o chefe de Estado brasileiro está com a reputação “destruída” e ridicularizá-lo passou a ser o “novo normal” nas conversas entre embaixadores.

Em apenas dois anos e meio de governo, Bolsonaro foi alvo de 32 cartas e comunicações de relatores independentes da ONU, denunciando violações de direitos humanos cometidas pelo governo. As comunicações, mantidas em sigilo por meses, se referem a temas como violência policial, pandemia, ditadura, imprensa, moradia, educação, racismo e tantos outros.

Marco Temporal
Ao mesmo tempo que buscará amenizar a crise internacional, Bolsonaro também usará o evento para levantar uma das pautas de seu governo: a aprovação pelo Supremo Tribunal Federal (STF) do marco temporal, que limita a demarcação de terras indígenas aos territórios ocupados pelos grupos em 1988. Além disso, ele deve pregar a liberdade de expressão da direita em redes sociais e valores cristãos e conservadores.

O texto está em votação há semanas na Suprema Corte e coloca em jogo reconhecimento ou a negação do direito mais fundamental aos povos indígenas: o direito à terra. Milhares de indígenas estão acampados em Brasília para pressionar os ministros a barrarem o projeto.

“A tese do marco temporal significa a constitucionalização de uma ideia colonizadora em relação aos povos originários”, contesta o advogado indígena Ivo Cípio Macuxi, do Conselho Indígena de Roraima. “Adotar o Marco Temporal é ignorar todas as violações que os povos indígenas foram e estão submetidos. O momento é oportuno pra essa Corte reafirmar os direitos dos povos indígenas”, disse Luiz Eloy Terena, coordenador jurídico da Articulação dos Povos Indígenas (Apib).

Com informações da RBA

Entre as vagas ofertadas pelo SIME estão oportunidades para Primeiro Emprego, Vendedor Externo, Operador de telemarketing, Representante comercial autônomo, Auxiliar de Monitoramento, Soldador, Servente de obras, Auxiliar de depósito e Pedreiro

A Prefeitura de Aparecida, por meio do Sistema Municipal de Emprego (SIME), tem ofertado centenas de oportunidades de trabalho toda semana. Nesta segunda-feira, 20 de setembro, estão disponíveis 627 vagas de emprego. A Secretaria Municipal do Trabalho é a responsável por captar as vagas das empresas e colaborar com o processo de seleção dos interessados.

Para concorrer às vagas, o trabalhador interessado deve agendar atendimento presencial no Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC). Basta acessar o site http://trabalho.aparecida.go.gov.br/.

O candidato deve clicar em Vagas de emprego, selecionar a vaga que deseja, clicar em Quero me candidatar, onde será encaminhado para a janela de agendamento. Em seguida, deve selecionar o código Nº 60 – Vagas De Emprego No Sistema Municipal de Emprego e o local de atendimento presencial.

No dia e horário agendados, o interessado nas vagas de emprego deve comparecer a uma das três unidades do SAC: na Cidade Administrativa Luiz Alberto Maguito Vilela (Avenida Gervásio Pinheiro, setor Solar Central Park – térreo); na do Parque Flamboyant (Avenida Bela Vista, s/n, Praça João Natal de Almeida – CEU das Artes – Parque Flamboyant); e no SAC do Parque Veiga Jardim (situado na Avenida Escultor Veiga Vale, em frente ao terminal de ônibus).

O trabalhador deve apresentar os seguintes documentos pessoais: RG, CPF, carteira de trabalho, comprovante de endereço e informar um telefone para contato. Caso exista vaga disponível no seu perfil, o trabalhador receberá uma carta de encaminhamento para realizar a entrevista de emprego na empresa contratante. Se não encontrar a vaga, o interessado pode acessar o site novamente e agendar uma nova busca presencial, pois as oportunidades são atualizadas diariamente pela Central de Captação de Vagas. Informações pelo telefone 3238-6774.

Além disso, a Prefeitura de Aparecida também está disponível para os empresários que buscam mão de obra para suas empresas. O número de WhatsApp disponível para cadastrar vaga de emprego é (62) 9 9194-3491.

Confira a relação de vagas disponíveis nesta semana:

53 Vendedor Externo

40 Soldador

34 Operador de telemarketing

34 Servente de obras

32 Representante comercial autônomo

27 Auxiliar de depósito

25 Pedreiro

23 Auxiliar de Monitoramento

22 Auxiliar de produção

20 Consultor Externo

20 Montador Soldador

19 Auxiliar de Estoque

15 Primeiro Emprego

13 Ajudante de carga e descarga

13 Motorista de caminhão

12 Auxiliar de armazém

11 Consultor de vendas

9 Costureira em Geral

8 Auxiliar de limpeza

8 Carga e Descarga

8 Operador de transpaleteira

7 Atendente

7 Auxiliar de serviços Gerais

7 Estoquista

7 Promotor de vendas

6 Estagiário

6 Mecânico diesel

6 Motorista entregador

6 Serviços Gerais

5 Carpinteiro

5 Operador de Retroescavadeira

5 Operador de empilhadeira

5 Serralheiro

4 Auxiliar de faturamento

4 Auxiliar de vendas/ Televendas

4 Empregada doméstica

4 Porteiro

4 Técnico em segurança do trabalho

4 Vendedor interno

3 Ajudante Geral

3 Analista de Marketing

3 Auxiliar de expedição

3 Cozinheiro geral

3 Eletricista

3 Engenheiro de produção

3 Lavador de veículos

3 Pintor de estruturas metálicas

3 Técnico de enfermagem

3 Técnico de manutenção eletrônica

2 Almoxarife

2 Analista de desenvolvimento de sistemas

2 Analista Fiscal

2 Armador de estrutura de concreto

2 Assistente fiscal

2 Assistente comercial

2 Auxiliar administrativo

2 Auxiliar de almoxarifado

2 Camareiro de hotel

2 Encarregado de expedição

2 Encarregado de obras

2 Operador de guilhotina (corte de papel)

2 Recepcionista, em geral

2 Vigia

1 Ajudante de cozinha

1 Ajudante de motorista

1 Atendente de loja

1 Auxiliar de Compras

1 Auxiliar de escritório

1 Auxiliar de logística

1 Auxiliar de loja

1 Auxiliar de Refrigeração

1 Auxiliar de topografia

1 Auxiliar Técnico

1 Cortador de tecido

1 Cozinheiro de restaurante

1 Cuidador de idosos

1 Engenheiro civil

1 Estagiário em logística (armazenagem e distribuição)

1 Lubrificador industrial

1 Mecânico de manutenção industrial

1 Mecânico de refrigeração

1 Montador de máquinas

1 Operador de cilindro

1 Operador de escavadeira

1 Operador de Máquina

1 Operador de motoniveladora

1 Programador de sistemas

1 Representante comercial

1 Técnico em refrigeração

1 Técnico têxtil

Motoristas por aplicativos de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul  e Sergipe criam seus próprios APPs. Eles ganham e os clientes pagam menos. Em SP, entregadores fazem greve por melhor remuneração

A baixa remuneração e jornada excessiva a que são submetidos motoristas e entregadores de aplicativos pelas grandes empresas como Uber, Rappi, 99 e Ifood, entre outras, pode ter um fim com a união desses trabalhadores e trabalhadoras contra a exploração.

Em Minas Gerais, Sergipe e Mato Grosso do Sul motoristas decidiram criar seus próprios aplicativos em que se conectam com os clientes, sem precisar pagar as taxas abusivas das empresas.

Em São José dos Campos, na região do Vale do Paraíba, em São Paulo, entregadores de alimentos por aplicativos de São José dos Campos, na região do Vale do Paraíba, fizeram a greve com maior durabilidade da categoria em protesto contra a baixa remuneração.

Sintricom
Assembleia dos entregadores de SJdos Campos na quinta (16)

Cerca de 230 motociclistas e ciclistas, segundo os entregadores, pararam na cidade por seis dias. A greve teve início no último sábado (11), por melhor remuneração e fim dos bloqueios praticados pelas empresas. Somente nesta sexta-feira (17), eles voltaram às atividades, após conseguirem uma resposta das empresas.

A trégua foi decidida coletivamente, diante de uma resposta positiva da empresa iFood, líder do setor, que , segundo os organizadores, prometeu manter uma promoção de R$ 3 para os motoboys da cidade até o próximo dia 28. Nesse dia, a empresa agendou uma reunião com os organizadores do movimento e sinalizou que está disposta a reajustar as taxas.

Além do reajuste no valor pago por quilômetro ou por entrega, as demandas da greve incluem o fim dos bloqueios indevidos, a exigência de código de confirmação nas entregas e melhores pontos de descanso na cidade. A informação é do Brasil de Fato

No ano passado, a categoria em todo o país realizou três greves, os chamados “Breque dos APPs

Roberto Parizotti (Sapão)
Greve dos entregadores em 2020, em SP
Roberto Parizotti (Sapão)
Entregador do Ifood em 2021, na Avenida Paulista, SP

Enquanto os entregadores fazem a luta com paralisações, motoristas foram  em outra direção em busca de independência das grandes empresas de aplicativos de transporte.

Foi o que fez Josean dos Santos, de 46 anos, casado e pai de cinco filhos. Motorista de Aracaju, capital de Sergipe, ele conta que deixou o emprego como gerente administrativo de uma empresa para ganhar mais trabalhando de motorista da Uber, em 2015. Menos de um ano depois, em janeiro de 2016,  veio a desilusão com a nova profissão e ele decidiu se juntar a outros colegas de trabalho e fundaram a Associação Sergipana dos Motoristas Autônomos por Aplicativo ( Asmaa), da qual hoje é presidente.

“ Essas plataformas chegaram com promessas para os desempregados, mas para um trabalhador levar uns trocados pra casa tem de trabalhar de 14 a 16 horas de domingo a domingo. Então fundamos a Asmaa para termos representatividade ”, conta Josean.

A Associação virou Cooperativa, para tentarem conseguir descontos em combustíveis, e em seguida veio a ideia de criar o próprio aplicativo, o i-Mobile Motoristas e o i-Mobile Passageiros para os clientes, disponíveis no Play Store e APP Store.

Ao contrário das grandes empresas que cobram taxas dos motoristas de 25% a 50% e ainda cobram por distância e sobem os preços para os clientes em datas comemorativas e feriados, o i-mobile tem uma taxa fixa de 10% para os motoristas e não sobe o preço em ocasiões especiais.

“ Uber é escravidão, se aproveita do trabalhador e dos clientes que chegam a pagar até 200% a mais nos preços das corridas nos dias dos Pais, Natal e festas juninas. No i-mobile o preço é fixo , R$ 1,00 por quilômetro contra R$ 0,75 da Uber, e 90% do valor fica com o motorista”, diz Josean.

Hoje já são 1.872 motoristas e 6.000 passageiros cadastrados e a atuação da plataforma já está em 36 municípios de Sergipe, além de Itapetinga (BA) e Fortaleza (CE). Segundo Josean, a ideia é chegar a todas 75 cidades do estado.

“O nosso aplicativo é promissor e a nossa ideia é em breve não depender da Uber, do 99 e outras grandes empresas que não pagam nem pela manutenção do veículo, nem pelo combustível e só causa sofrimento para quem depende desse trabalho porque está desempregado”, afirma Josean.

O presidente da Asmaa garante ainda que o uso do aplicativo é seguro tanto para motoristas como passageiros. Ele conta que na hora do cadastro no i-passageiro é preciso tirar uma foto na hora, pois o aplicativo não aceita imagem de galeria do celular.

“ Quem se cadastra recebe mensagem por SMS e WhatsApp e o aplicativo já mostra ao motorista para onde ele vai, o valor do quilômetro rodado e da corrida, e ainda não cobra multa para cancelamento, nem do motorista, nem do passageiro”, explica Josean.

Em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, a plataforma que une motoristas e passageiros é a Mou Drive e em Belo Horizonte, Minas Gerais, é a 7Move.

 *Edição: Marize Muniz do Brasil de Fato

Trabalhadores informais e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos em dezembro podem sacar, a partir de hoje (20), a quinta parcela do auxílio emergencial 2021. O dinheiro foi depositado nas contas poupança digitais da Caixa Econômica Federal em 31 de agosto.ebcebc

O calendário é organizado em ciclos de crédito em conta e de saque em espécie, de acordo com o mês de nascimento. O saque pode ser feito nas agências da Caixa, lotéricas ou nos correspondentes Caixa Aqui.

Para a retirada do dinheiro, é preciso fazer o login no aplicativo Caixa Tem, selecionar a opção “saque sem cartão” e “gerar código de saque”. Depois, o trabalhador deve inserir a senha para visualizar o código de saque na tela do celular, com validade de uma hora.

Agora, os recursos também podem ser transferidos para uma conta corrente, sem o pagamento de tarifas, e ainda podem ser movimentados por meio do aplicativo Caixa Tem. Com ele é possível pagar boletos e contas, como água e telefone, fazer compras pela internet e pelas maquininhas em diversos estabelecimentos comerciais, com o cartão de débito virtual e QR Code.

Em caso de dúvidas, a central telefônica 111 da Caixa funciona de segunda a domingo, das 7h às 22h. Além disso, o beneficiário pode consultar o site auxilio.caixa.gov.br .

Calendário de pagamento da quinta parcela do auxilio emergencial de 2021

Calendário de pagamento da quinta parcela do auxilio emergencial de 2021 - Fonte: Ministério da Cidadania

Regras

O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

Neste ano, a nova rodada de pagamentos, durante sete meses, tem parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil: as famílias, em geral, recebem R$ 250; a família monoparental, chefiada por uma mulher, recebe R$ 375; e pessoas que moram sozinhas recebem R$ 150.

Pelas regras estabelecidas, o auxílio é pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não houve nova fase de inscrições. Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso, seja a parcela paga no programa social, seja a do auxílio emergencial.

O programa se encerraria com a quarta parcela, depositada em julho e sacada em agosto, mas foi prorrogado até outubro, com os mesmos valores para o benefício. A Agência Brasil elaborou um guia de perguntas e respostas sobre o pagamento do auxílio em 2021.

* Colaborou Wellton Máximo, da Agência Brasil

O pedagogo do oprimido sempre defendeu que “nenhuma pedagogia que seja verdadeiramente libertadora pode permanecer distante do oprimido, tratando-os como infelizes e apresentando-os aos seus modelos de emulação entre os opressores. Os oprimidos devem ser o seu próprio exemplo na luta pela sua redenção”

por Marcos Aurélio Ruy

(Arte: MST)

Neste domingo (19), é celebrado o centenário de Paulo Freire, pedagogo e filósofo. Ele criou o verbo esperançar, para reforçar a necessidade de crença no futuro da humanidade.
Não à toa Pedagogia do Oprimido (1970) está entre os 100 livros mais lidos do mundo. Porque Paulo Freire está entre os pensadores mais respeitados, justamente porque parte da premissa de uma educação voltada para a liberdade e o respeito à dignidade humana.
O Patrono da Educação Brasileira (Lei nº 12.612, sancionada em 2012) nasceu em 19 de setembro de 1921 e faleceu em 2 de maio de 1997, antes, portanto, do país ter o privilégio de vê-lo como ministro da Educação no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2003.

Somente os paulistanos tiveram o privilégio de ter Paulo Freire como secretário de Educação na administração municipal de Luiza Erundina, de 1989 a 1993, cargo exercido por ele até 1991. O bastante para fazer a diferença com uma gestão amplamente democrática e voltada para o povo.
Mas o seu trabalho foi o suficiente para despertar o ódio na burguesia, que ate ´hoje defende o que Freire chamou de “educação bancária” para as filhas e filhos da classe trabalhadora, ou seja uma educação tecnicista com objetivo de reduzir os horizontes e perspectivas de quem vive do trabalho.
“Paulo Freire é o maior contraponto à escola defendida pelo Ministério da Educação do atual governo federal”, argumenta Arielma Galvão dos Santos, secretária adjunta de Políticas Educacionais da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e diretora de Educação da APLB – Sindicato, na Bahia.

Porque “a pedagogia dele tem como base a liberdade, a leitura do mundo”, em suma, “é educação para transformar as pessoas, que transformam a sociedade para a construção de um mundo com equidade e respeito aos saberes diversos”.
Assista a Paulo Freire, um Homem do Mundo, de Cristiano Burlan

Francisca Pereira da Rocha Seixas – a Professora Francisca –, secretária adjunta de Finanças da CTB e diretora de Assuntos Educacionais e Culturais da Apeoesp e secretária de Saúde da CNTE, explica que “a prática didática de Paulo Freire tem como base a valorização do educando, observando a realidade da comunidade a qual os estudantes se inserem e a partir disso construir novas formas de conhecimento na base do diálogo e de troca de saberes”.

Os docentes, portanto, não devem ser vistos como exclusivos detentores do conhecimento para depositá-lo na cabeça dos educandos. Justamente porque Freire “propõe uma reflexão diferente não somente do conceito de educação, mas principalmente do papel do educador no processo que ele chama de um processo de emancipação”, define Sara de Castro Cândido, secretária de Formação da CTB-GO.
Assim, “enquanto a missão da ’educação bancária’ é eliminar a capacidade crítica dos alunos e acomodá-los à realidade. A ‘educação problematizadora’ quer despertar a consciência dos oprimidos, inquietá-los e levá-los à ação (libertação)”, salienta Sara.
Para Helmilton Beserra, presidente da CTB-PE e do Sindicato dos Professores de Pernambuco, “a diferença entre o Método Paulo Freire e a escola as políticas propostas que o atual governo preconiza é crucial” porque a do governo federal é “uma escola antidemocrática, militarista e excludente”.

Já a proposta de Freire “é uma escola para todas e todos, exaltando a democracia em todos os espaços da escola, principalmente em sala de aula, local que congrega sujeitos de conhecimento, para aprender, para conhecer e transformar sua realidade e nela intervir como cidadãos de direitos”, diz Helmilton.
Ouça Esperançar por Esse Chão, de Anabela e Edu de Maria

Por isso, despertou ódio nos setores conservadores da sociedade, sendo preso e exilado durante a ditadura (1964-1985). Voltou ao Brasil somente com a conquista da anistia, em 1979.
No exílio, não parou de pensar e produzir suas obras essenciais para uma educação voltada à liberdade e emancipação da classe trabalhadora através do conhecimento. Atualmente sofre ataques persistentes dos setores mais enfurecidos da extrema-direita.

Justamente, explica Sara, porque quando “a classe trabalhadora passa a ter acesso à educação libertadora, passa a questionar o sistema, o mundo. Aí as pessoas passam a ser promotoras da sua própria transformação”. Porque Paulo Freire “partia da perspectiva de que a leitura do mundo precede a leitura da palavra e ambos são complementares”.
Claudete Alves, presidenta do Sindicato dos Educadores da Infância de São Paulo (Sedin) e dirigente da CTB, acrescenta que “essa pedagogia proposta  estimula o exercício da cidadania, a cobrança de direitos e obriga a reflexão sobre a realidade e como transformá-la”.
Para ela, “em sociedades como a nossa, o Método Paulo Freire é o ideal, pois, possibilita através  dos saberes individuais e das experiências coletivizar práticas entendedoras e produtoras de novos conhecimentos”.

BNCC é castradora
O problema é que a Base Comum Nacional Curricular (BNCC) proposta desde a gestão de Michel Temer cria um distanciamento dos estudantes em relação à escola porque padroniza o currículo, desconhecendo a diversidade cultural e social do país.

“Um absurdo, com tantas diferenças, com tamanha diversidade, querer unificar o currículo significa querer desconstruir a perspectiva de conhecimento do mundo, como preconiza Paulo Freire”, diz Sara.
O pedagogo do oprimido sempre defendeu que “nenhuma pedagogia que seja verdadeiramente libertadora pode permanecer distante do oprimido, tratando-os como infelizes e apresentando-os aos seus modelos de emulação entre os opressores. Os oprimidos devem ser o seu próprio exemplo na luta pela sua redenção”.
Essa forma de encarar a educação, “é a causa dos ataques recentes a Paulo Freire, inclusive tentando tirar dele o título de Patrono da Educação Brasileira”, ressalta Professora Francisca. Principalmente, porque “o presidente Jair Bolsonaro defende o método de alfabetização por meio da decoração de meros símbolos gráficos, não despertando um interesse maior pelo estudo e não se aprendendo a ler com senso crítico”.

O pensador e pedagogo se destacou a partir de suas primeiras experiências no Rio Grande do Norte, em 1963. Ele ensinou 300 adultos a ler e a escrever em 45 dias. Esse seu método foi adotado em Pernambuco e posteriormente pelo então presidente João Goulart. Nascia um Plano Nacional de Alfabetização para a formação de educadoras e educadores em massa e a implantação de milhares de círculos de cultura no país, revelam historiadores. Esse plano foi abortado pelo golpe de 1964.
Justamente porque o “no seu método aprendemos o quanto é significativo vivenciar não só o processo de ensinar a ler e a escrever, partindo da realidade em que vive o estudante, qualquer que seja o processo educativo”, reforça a professora Rilva Uchôa, especialista em Paulo Freire.
Para ela, o pensador “nos presenteou com a pedagogia da autonomia que aponta como desenvolveremos uma prática educativa, confrontando os diferentes saberes e opiniões acerca da realidade e explorá-la para se transformar em conhecimento, com intervenção desses estudantes em qualquer momento”.

Já Claudete assinala que, inclusive na educação infantil, a pedagogia de Freire é importante. “Temos a fase das descobertas, das interações iniciais fora do ambiente privado”, na educação infantil e “o lúdico e a lógica neste momento do desenvolvimento humano, as práticas ensinadas por Paulo Freire querendo alguns ou não habitam esses territórios” porque “os saberes, o despertar e o desenvolvimento são construídos partindo do concreto onde mesmo a fantasia e os encantamentos observados são reais”.
Assista As 40 Horas de Angicos, produção do Serviço Cooperativo de Educação do Rio Grande do Norte, Roteiro de Luiz Lobo

Porque, como explica Arielma, Freire elaborou uma pedagogia a favor de “uma educação que promove espaços para as vozes ecoarem livremente, para que as pessoas se sintam representadas e também se apresentem e representem e assim fortaleça as suas identidades”.

Rilva acentua que “Freire defendia uma proposta pedagógica que na relação educador e educando não há quem saiba mais”, porém, “existem sabedorias diferentes que precisam ser dialogadas e confrontadas por uma atitude de compromisso do educador em respeitar essas diferenças” e nessa “escola não se aprende só para se fazer provas, mas para se transformar em sujeitos capazes de aprender e ao mesmo tempo ensinar”.
O próprio Paulo Freire define a sua pedagogia ao afirmar que “a educação é um ato de amor, por isso, um ato de coragem. Não pode temer o debate. A análise da realidade. Não pode fugir à discussão criadora, sob pena de ser uma farsa”.
Portanto, celebrar o centenário de um dos mais importantes pensadores do século 20, “significa sobretudo refletir sobre não só os atuais modelos propostos para a educação, mas sobre a necessidade de se resgatar essa perspectiva de uma educação que de fato seja emancipatória e libertadora”, define Sara.

Fonte: CTB

Sustentabilidade também gera oportunidades de negócios, renda e mão de obra qualificada

Sergio de Carvalho Mauricio*

As transformações do ser humano acontecem em níveis sociais, econômicos e culturais e elas chegam em momentos decisivos para que o homem alcance um novo patamar de sua história. Atualmente, os grandes debates e rodas de negócios, sejam nacionais ou internacionais, estão pautados sobre a sustentabilidade e as mudanças climáticas.

Economia circular é o nome do conceito que nós especialistas, entusiastas e ativistas trabalhamos para que as ações em sustentabilidade, conscientização e preservação ambiental entrem em equilíbrio com as questões econômicas e ganhem atenção especial no mundo corporativo. O conceito tem evoluído ao longo dos anos e o avanço da tecnologia tem contribuído para que soluções inovadoras sejam incorporadas à rotina dos cidadãos e das empresas. Hoje encontramos empresas, associações e profissionais capacitados oferecendo produtos e serviços em todos os elos da cadeia da economia circular.

O brasileiro tem se tornado mais consciente da importância de reciclar o lixo
O brasileiro tem se tornado mais consciente da importância de reciclar o lixo (José Cruz/ABr)

Os famosos 3R’s (Reduzir o consumo, Reutilizar e Reciclar) são fundamentais, mas não são suficientes. É preciso reinserir os materiais reciclados na cadeia produtiva, permitindo a redução do consumo de recursos naturais. Aí começa a prática da economia circular. Otimização de processos, novas tecnologias e principalmente a crescente conscientização do consumidor serão vitais para que o conceito saia do papel e contribua para o desenvolvimento de uma sociedade melhor.

Um estudo da agência de pesquisa Union + Webster, divulgado em 2019 pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) aponta que 87% dos brasileiros compram os produtos e serviços de empresas que tenham como legado ser sustentável e que 70% dos entrevistados ainda falaram que “pagar um pouco mais por isso” não há problema nenhum. Portanto, o ambiente está propicio para as transformações.

Antes a economia circular só era discutida como mais um conceito a ser introduzido no mundo. Hoje, quem não correr atrás de organizar ações, atender metas e comunicar seus resultados, pode perder espaço mercadológico e financeiro. A economia circular envolve várias ações, sendo a logística reversa uma das fundamentais nessa cadeia. Há algum tempo temos trabalhado para intensificar a logística reversa de equipamentos eletroeletrônicos e eletrodomésticos em fase final de vida útil, desenvolvendo a rede de recebimento desses produtos e levando conscientização aos cidadãos.

Fazer a gestão, criar ações, produzir conteúdo de educação ambiental, fazer parcerias e ampliar redes de pontos de recebimento não é fácil, mas estamos conseguindo um passo de cada vez. Toda a cadeia tem trabalhado para fazer a sua parte, além também de incentivar o consumidor a realizar a sua contribuição, que é tão importante, levando o produto até o ponto de recebimento mais próximo.

Há muitas formas de estimular o descarte de produtos em final de vida útil. Cito o exemplo de uma parceira que traz em seu modelo de negócio uma gamificação simples para reforçar a importância de o consumidor levar o produto até o ponto de coleta cadastrado. A pessoa junta produtos pós-consumo, faz um cadastro no aplicativo da marca, leva até a estação de reciclagem da empresa e ganha pontos pelo tipo de produto entregue. Depois ela pode trocar por benefícios, produtos ou descontos. Isso gera curiosidade, interatividade e diversão. Assim começa a logística reversa e o meio ambiente agradece.

Estamos sempre acompanhando os dados mercadológicos para reafirmar o nosso compromisso com o setor e com o meio ambiente. A própria Confederação Nacional da Indústria (CNI) relatou em sua pesquisa de 2019 que 76,5% das indústrias possuem alguma ação sobre economia circular, como práticas de otimização de processo (56,5%), uso de insumos circulares (37,1%) e recuperação de recursos (24,1%). O empresariado busca a eficiência para que haja ganho em escala e para que todo mundo ganhe. Uma outra pesquisa também da CNI mostra que o brasileiro separa produtos para reciclagem, e que cresceu de 47% em 2013 para 55% em 2019.

Trabalhar com sustentabilidade também gera oportunidades de negócios, renda, novos postos de trabalho e mão de obra qualificada. O Brasil precisa disso. O país deu um passo importante, com a aprovação em fevereiro de 2020 do Decreto Federal 10.240, que oficializa a política de logística reversa de eletroeletrônicos e eletrodomésticos e define metas para os próximos cinco anos. A implantação desse processo está em ritmo acelerado e estamos convictos da contribuição para a sustentabilidade do país.

O momento é de manter o foco e promover a consciência coletiva. Todos nós podemos e devemos colaborar, deixando um legado para as futuras gerações!


Fonte: EcoDebate e DOM Total

Sergio de Carvalho Mauricio é presidente da Associação Brasileira de Reciclagem de Eletroeletrônicos e Eletrodomésticos (Abree).

Município também começa a imunizar adolescentes de 12 a 17 anos com comorbidades

Neste sábado, 18 de setembro, a Prefeitura de Aparecida realizará duas ações estratégicas de descentralização e ampliação dos postos de imunização contra a covid-19. O dia terá uma nova edição do “Vacina Mais Perto de Você”, nos setores Continental, divisa com Terra do Sol, e Virgínia Park, além do Mutirão da Vacinação em 11 postos.

Moradores acima de 17 anos poderão ser vacinados durante as duas ações. Além disso, gestantes e puérperas, bem como adolescentes com deficiência permanente ou com comorbidades, de 12 a 17 anos, também poderão ser imunizados mediante comprovação da situação.

No “Vacina Mais Perto de Você”, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) irá levar dois trailers refrigerados para bairros afastados, que disponibilizarão a imunização para moradores, sem qualquer necessidade de agendamento. Basta apresentar documento de identidade, CPF ou Cartão SUS e comprovante de endereço.

Um dos trailers estará das 8h30 às 16 horas, na Avenida Guanabara, Qd. 20, L.10, Setor Continental, em um local conhecido como “banquinho das doações”. O outro estará, também das 8h30 às 16 horas, na Avenida Goiânia, Qd. 36, Lt. 09, Setor Virgínia Park, em frente a Chácara do Resende.  

A Prefeitura convida todos os moradores dessas regiões que ainda não foram vacinados a comparecerem nos locais citados. Nos trailers será possível receber tanto a primeira dose quanto a segunda dose, caso alguém já esteja na época de receber o reforço.

MUTIRAO DA VACINA UBS CRUZEIRO DO SUL FOTO CLAUDIVINO ANTUNES 11
Foto: Claudivino Antunes

Mutirão

No Mutirão da Vacinação, a SMS disponibilizará a primeira dose da vacina em 11 postos espalhados pela cidade, que funcionam mediante agendamento pelo aplicativo Saúde Aparecida. Cerca de mil vagas foram liberadas somente para este sábado, nas Unidades Básicas de Saúde (UBS´s): Mansões Paraíso, Colina Azul, Bandeirantes, Parque Trindade, Cruzeiro do Sul, Cândido de Queiroz, Retiro do Bosque, Anhambi, Veiga jardim e Andrade Reis, que funcionam das 8h às 16 horas. A Central de Imunização também participa da ação, das 8h às 18 horas. Todas as vagas já foram preenchidas.

Além disso, o Drive da Cidade Administrativa funcionará normalmente neste sábado, das 8h às 17 horas, aplicando exclusivamente a primeira dose, sem necessidade de marcação prévia. Para receber o imunizante neste local basta apresentar documento de identidade (Ou certidão de nascimento), Cartão SUS de Aparecida ou CPF e comprovante de endereço.

Segunda dose

A aplicação da segunda dose também continua durante o sábado, em seis postos. O serviço estará disponível nos drives do Aparecida Shopping e do Centro de Especialidades, das 8 às 17 horas, e na Central de Imunização, das 8 às 18 horas. Nas UBS’s dos bairros Anhambi, Andrade Reis e Veiga Jardim, o reforço do imunizante será aplicado das 8 às 16 horas.

Para receber a segunda dose não é necessário agendar, basta respeitar a data prevista no cartão de Vacinação e no dia programado apresentá-lo, juntamente com documento de identidade e CPF ou Cartão SUS.

VACINACAO REFORCO 70 ENIO MEDEIROS 3 SITE 3
Foto: Enio Medeiros

Dose de reforço dos 70+

Além disso, neste sábado, a aplicação da dose de reforço (Terceira dose) para a população acima de 70 anos seguirá em todos os seis postos que já disponibilizam a segunda dose: drive-thru do Aparecida Shopping e do Centro de Especialidades, das 8 às 17 horas, a Central de Imunização, das 8 às 18 horas, e as UBS´s dos setores Andrade Reis, Anhambi e Veiga Jardim, das 8 às 16 horas.

Para esse grupo receber a terceira dose do imunizante será necessário respeitar o intervalo de seis meses após a última dose do esquema vacinal (segunda dose ou dose única), independentemente da vacina aplicada.

Dose de reforço dos imunossuprimidos

As pessoas com alto grau de imunossupressão também devem receber a terceira dose nos seis postos citados acima. Nesses casos, o intervalo para a dose de reforço deverá ser de 28 dias após a última dose do esquema básico, também independentemente da vacina aplicada.

Adolescentes com comorbidades

A partir deste sábado, 18, Aparecida começa a imunização de adolescentes de 12 a 17 anos com comorbidades. Para receber o imunizante, o responsável pelo jovem deve apresentar laudo médico.

Conforme especificado no Plano Nacional de Imunizações (PNI), a vacinação das pessoas com comorbidades contempla: diabetes mellitus; pneumopatias crônicas graves; Hipertensão Arterial Resistente (HAR); Hipertensão arterial estágio 3; Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade; Insuficiência cardíaca (IC); Cor-pulmonale e Hipertensão pulmonar; Cardiopatia hipertensiva; Síndromes coronarianas; Valvopatias; Miocardiopatias e Pericardiopatias; Doenças da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas; Arritmias cardíacas; Cardiopatias congênita no adulto; Próteses valvares e Dispositivos cardíacos implantados; Doença cerebrovascular; Doença renal crônica; Imunossuprimidos; Anemia falciforme; Obesidade mórbida; Síndrome de down; e Cirrose hepática. A Campanha contempla ainda pessoas com doenças raras que impliquem em maior risco para o desfecho da Covid-19.

Secretaria de Saúde atribui diminuição de casos ao trabalho contínuo de prevenção e ao contexto da pandemia, mas alerta a população para reforçar a prevenção, especialmente com a proximidade do período chuvoso, para que os números continuem em baixa

Segundo dados atualizados da Secretaria de Saúde de Aparecida (SMS), em 2020 a cidade não teve nenhuma morte por dengue e foram notificados 9.555 casos da doença, número 64% inferior ao de 2019, quando foram registrados 18.456 casos e quatro óbitos. Até agora, em 2021, a tendência de redução continua, com 6.600 casos notificados e nenhuma morte. A SMS atribui o resultado positivo ao permanente trabalho de combate e prevenção realizado na cidade, associado ao contexto de pandemia, mas alerta a população para reforçar os cuidados preventivos principalmente quando se aproxima o início das chuvas.

O secretário de Saúde Alessandro Magalhães lembra que em 2018 a cidade notificou 18.145 casos de dengue com 6 óbitos, e, de lá para cá, as mortes foram se reduzindo até zerarem no ano passado, mas que isso não justifica quaisquer descuidos: “A pandemia do novo Coronavírus trouxe o isolamento social, o que fez muitos moradores ficar mais tempo em casa e com isso cuidar melhor da limpeza de seus imóveis, além de reduzir o lixo descartado nas vias públicas e terrenos baldios. Agora, com a pandemia ainda em curso mas com menos restrições, as pessoas estão retomando suas atividades e lembramos a todos que não se pode descuidar também da prevenção a doenças como dengue, zika e chikungunya, que têm em comum o mesmo vetor, o mosquito Aedes aegypti. “

De acordo com o coordenador de Vigilância Ambiental da SMS, Iron Pereira, em 2020 foram realizadas mais de 1 milhão e 200 mil visitas domiciliares em ações rotineiras de orientação dos moradores e de combate a criadouros do Aedes. Também foram recolhidas mais de 152 mil carcaças de pneus que são potenciais “maternidades” para o inseto. Ele informa que, durante todo o ano, a população pode realizar denúncias de possíveis focos do mosquito pelo telefone 3545-4819. Após receber as informações, equipes são mobilizadas rapidamente para fazer limpezas e tomar outras providências.

“Nossas equipes visitam, em média, pelo menos quatro vezes por ano, cada imóvel de Aparecida. Não paramos nem durante a pandemia, pois o controle e a prevenção da dengue sempre foram prioridades da Prefeitura, é algo que o prefeito Gustavo Mendanha sempre nos determinou e que também evita a superlotação das unidades de saúde durante o enfrentamento à Covid-19,” afirma Iron Pereira.

O coordenador também salienta que as equipes da Vigilância estão trabalhando intensamente neste ano, fazendo visitas nos imóveis, residenciais e comerciais, com combate a focos do mosquito, orientações, distribuição de cartazes e folders educativos, coleta de pneus e visitas a ferros-velhos, bem como realizando bloqueios para cortar a transmissão da doença. Desde janeiro até agora já foram coletados 38.055 pneus e mais de 792 mil visitas domiciliares foram realizadas.

Alerta contra a dengue, a zika e a chikungunya

O secretário e o coordenador são categóricos ao alertar a população para reforçar as medidas preventivas contra o mosquito, principalmente neste momento em que se aproxima o período chuvoso. “Todos devem impedir que recipientes como garrafas, vasos de plantas e pneus armazenem água da chuva, além de manter as calhas limpas e as caixas d’água cobertas,” frisa o secretário Alessandro Magalhães.

Nesse sentido, Iron Pereira acentua que “quando a combinação de calor e chuva favorecem a proliferação do Aedes aegypti, é essencial lembrar que qualquer recipiente, por menor que seja, pode acumular água e ser um berçário para o inseto. Por isso, sempre repetimos que em 15 minutos por semana é possível fiscalizar o quintal e a casa, acondicionar corretamente o lixo, fazer a manutenção preventiva em calhas e tapar caixas d’água e cisternas, dentre outros cuidados indispensáveis. Cada pessoa deve fazer a sua parte pelo bem de todo o Munícipio.”

Executada pela Prefeitura de Aparecida junto com a Caixa e o Sesi/Senai, iniciativa busca inserção no mercado de trabalho; projeto terá ainda iniciação esportiva

A Prefeitura de Aparecida firmou convênio com a Caixa Econômica Federal para oferecer cursos profissionalizantes e atividades esportivas aos moradores do condomínio Residencial Buriti Sereno, onde vivem 832 famílias de baixa renda. Além de capacitar para o mercado de trabalho e viabilizar o 1º emprego, a iniciativa busca fomentar a iniciação esportiva, favorecendo o desenvolvimento de crianças, adolescentes e jovens.

O contrato para execução do projeto social foi assinado nesta quinta-feira (16) pelo prefeito Gustavo Mendanha. Ele esteve hoje no condomínio junto com o vice-prefeito, Vilmar Mariano, e o secretário de Habitação de Aparecida, William Panda.

projeto social buriti sereno foto1 claudivino antunes

Segundo Panda, técnicos da Secretaria de Habitação começarão amanhã (17) uma pesquisa no residencial para apurar as necessidades e preferências das famílias por cursos profissionalizantes e atividades esportivas. Já são previstas, por exemplo, aulas de futebol, balé, zumba, capoeira e vôlei, além das capacitações profissionais.

A iniciativa se desdobrará neste contrato pelo período de um ano e receberá investimento de R$ 748.800, oriundos do Minha Casa Minha Vida. O programa habitacional prevê trabalhos técnicos-sociais com as famílias antes, durante e depois da mudança para as unidades residenciais.

“É algo inovador aqui no município. Nossa intenção é fazer com que essas famílias se estabeleçam na sociedade”, explicou o secretário William Panda. Ele adiantou que, desde já, a Secretaria de Habitação fará plantão social permanente no condomínio, auxiliando os moradores do Residencial Buriti Sereno no dia a dia.

O prefeito Gustavo Mendanha ressaltou que, depois dos processos de seleção e sorteio dos apartamentos, a Prefeitura de Aparecida volta ao residencial para desenvolver o projeto com os moradores. “Representa um novo passo que estamos dando para melhorar ainda mais a vida das pessoas que aqui estão, fomentando a cultura, a prática de esportes, a melhoria da qualidade de vida e, claro, a qualificação profissional”, disse.

projeto social buriti sereno foto2 claudivino antunes
Prefeito Gustavo e vice-prefeito Vilmar Mariano dialogam antes de assinar o convênio – Foto: Claudivino Antunes

Letícia Mariano, síndica da etapa 1 do Residencial Buriti Sereno, narrou as demandas sociais dos moradores. “São pessoas que necessitam de cursos, de oportunidades do 1º emprego. Precisamos dar às crianças oportunidades de um futuro melhor. É preciso trata-las com dignidade”, externou a gestora do condomínio.

Os cursos profissionalizantes serão ministrados por equipes do Sesi/Senai, que está em Aparecida há 27 anos, conforme lembrou o diretor local da instituição, Volnei César. “É nossa missão fazer a formação, inclusão e desenvolvimento das famílias. Ficamos muito felizes de ter a Prefeitura de Aparecida com a gente nesse caminho”.

Moradores receberam kits esportivos

Também hoje, a Prefeitura de Aparecida entregou aos moradores do Residencial Buriti Sereno kis esportivos com bolas de futebol e basquete, redes para traves e outros itens. Esse repasse de materiais esportivos ocorre continuamente, a cada quatro meses, desde a mudança das famílias para o conjunto habitacional. O objetivo, conforme o secretário municipal de Esportes, Lazer e Juventude, Gerfeson Aragão, é incentivar a prática de esportes, a convivência social e hábitos para uma vida mais saudável.

projeto social buriti sereno foto3 claudivino antunes
A cada 4 meses, Prefeitura entrega novos kits esportivos à comunidade do residencial – Fotos: Claudivino Antunes

O apoio à vacinação contra a Covid-19 vem derrubando os registros de novos casos, mortes e internações no Brasil. Mas, no país onde a doença matou mais do que infarto, diabetes e pneumonia juntas, os problemas de falta de imunizante continuam atrasando a campanha de vacinação e provocam bate boca entre o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que diz que tem vacina sobrando, e governadores e prefeitos que sofrem com a falta de vacinas nos postos.

A grande aceitação da vacina contra a Covid-19 elevou para quase 36% o percentual de brasileiros imunizados com as duas doses da Coronavac, Pfizer ou AstraZeneca ou a dose única da Jansen, o que já se reflete nos dados de transmissão, hospitalização e óbitos causados pela doença.

Em 24 horas, 613.687 pessoas receberam a primeira dose, 1.180.808, a segunda dose ou a dose única, e 40.052, a dose de reforço. O total do dia ficou em mais de 1,8 milhão. Até agora, mais de 139 milhões receberam a primeira dose, 65,58% da população. E mais de 76 milhões estão completamente vacinados (35,98%).

Cai número de casos e mortes

No pior pico da pandemia, em abril, foram 3.015 mortos por dia, agora, são 597 mortes na média móvel, uma queda de 80,9%, segundo dados do jornal O Globo. O Brasil é um dos países mais afetados pela pandemia do novo coronavírus no mundo e agora, finalmente, conseguiu entrar em outro patamar depois de muita negação à ciência por parte do governo federal.

Em 24 horas o país registrou 793 mortes, totalizando 588.640 vítimas desde o início da pandemia. Também em 24 horas, foram confirmados 14.532 novos casos, totalizando 21.032.268.

Covid-19 ultrapassa mortes por infarto, diabetes e pneumonia em 2020

Ainda segundo dados do jornal O Globo, a Covid-19 foi a doença mais letal no Brasil em 2020.

Segundo o consórcio da imprensa, 194,9 mil brasileiros morreram no ano passado em decorrência de complicações causadas pela Covid-19.

O número é maior do que o total de mortes provocadas pelas três doenças mais mortais do país (infarto, diabetes e pneumonia) que vitimaram 190.242 pessoas ao longo do ano passado.

O levantamento foi feito com base dos dados do DataSUS, que comparou mortes por Covid-19 com as mortes provocadas por infarto, diabetes (não especificada) e pneumonia (por micro-organismo não especificado).

Falta de vacinas e atraso no calendário da terceira dose

O impasse entre o Ministério da Saúde e o governo de São Paulo provocou uma confusão na aplicação da terceira dose para os idosos.

Nos planos do Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a aplicação da terceira dose de vacina contra a Covid começava apenas nesta quarta-feira (15). Na prática, porém, muitos estados passaram a oferecer o reforço semanas antes, mesmo que diversos governadores reclamem da falta de imunizantes.

Florianópolis​ começou a aplicar a terceira dose nesta quinta-feira (16) em pessoas de 84 e mais que tomaram a segunda dose há pelo menos seis meses.

Em Campo Grande, a dose vem sendo aplicada em idosos e imunossuprimidos desde o final de agosto. Atualmente, pessoas com 68 anos ou mais estão recebendo as doses.

São Luís, capital do Maranhão, também antecipou a aplicação da terceira dose da vacina contra a Covid-19. As vacinas passaram a ser aplicadas no dia 26 de agosto, começando pelos idosos que vivem em abrigos.

Fonte: CUT, O Globo e DataSUS

DENÚNCIA DE IRREGULARIDADES?

envie um email para

[email protected]

2005 - 2021
magnifiercross linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram