Desembargador do TRF-2 manda soltar Temer e Moreira Franco

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

Decisão diz que é preciso assegurar direitos constitucionais, embora tenha elogiado Marcelo Bretas

O desembargador Antônio Ivan Athié do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, revogou o mandado de prisão contra o ex-presidente Michel Temer, Moreira Franco e mais seis investigados que foram presos na última quinta-feira por decisão do juiz Marcelo Bretas da Justiça Federal do Rio de Janeiro.

Antônio Athié é o atual relator dos recursos que foram apresentados pela defesa dos acusados e anteriormente avia decidido que o julgamento dos pedidos so seriam analisados na próxima quarta, 27, mas antecipou e concedeu os pedidos de liberdade.

O desembargador elogiou Marcelo Bretas, mas destacou que é preciso respeitar os direitos previstos na Constituição Federal. Disse ainda que não é contra a Lava-Jato e que torce para que o país se livra da corrupção atraves da Lava-Jato, mas que é preciso aceitar as garantias constitucionais.

Temer foi preso em São Paulo pela Operação Lava-Jato por suspeita de ter recebido proprina de R$ 1 milhão de um contrato da Eletronuclear, empresa pública responsável pela construção da Usina Angra 3.

Na mesma decisão foram presos também o ex-ministro Moreira Franco, o coronel da PM João Baptista Lima Filho, amigo íntimo de Temer e mais sete pessoas. A ordem de liberdade proferida pelo desembargador liberta todos os envolvidos.

Na fundamentação que levou a prisão do ex-presidente Temer e dos demais investigados, o juiz Marcelo Bretas argumentou que Michel Temer é lider absoluto de uma organização criminosa que foi responsável pelo desvio de cerca de R$ 1,8 bilhão em propinas. Resaltou que se continuassem em liberdade poderiam destruir provas com uma simples mensagem de aplicativo e comprometer toda a investigação. Temer esta detido em uma sala da
Superintendência da Polícia Federal no Rio de janeiro. Moreira franco e o coronel Lima foram para o Batalhão Especial Prisional em Niterói.

Denuncias e Informações? Chat via WhatsApp